Eduardo Cabrita diz que não é “chefe de polícia” anunciando reforma do SEF

O Director Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP), Manuel Magina da Silva, admitiu este domingo Estão em curso os trabalhos para a fusão do PSP com o SEF, acrescentando que já discutiu o assunto com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Souza.

O diretor nacional confirmou em coletiva de imprensa que está trabalhando com o Ministério do Interior Potencial “fusão da PSP e SEF”.

Dessa forma, tanto o PSP quanto o SEF poderiam ser eliminados e haveria uma “polícia nacional”, segundo Magina da Silva.

“Eu não a vejo com olhos ruins” A fusão continuou.

Em declarações à Lusa, Eduardo Cabrita disse que o programa do governo prevê “uma separação orgânica clara entre as funções policiais e administrativas para autorizar e certificar os imigrantes do SEF”.

O Ministro do Interior posteriormente indicou que O trabalho continuou a “envolver as forças de segurança na redefinição da prática das funções de polícia nessas áreas de gestão de fronteiras e combate às redes de tráfico de pessoas”.


“Este é um assunto no qual o governo está trabalhando e diz respeito diretamente ao primeiro-ministro [António Costa]E os Ministérios da Administração Interna e Externa, da Justiça e da Presidência do Conselho de Ministros. No contexto do envolvimento direto do Primeiro-Ministro e de quatro esferas de governo, em breve explicaremos, de forma adequada, como cumprir explicitamente o programa de governo.O membro executivo disse.

Como tal, Eduardo Cabrita, W.Esses materiais, “aparentemente, com todo o respeito, não foram tornados públicos pelos policiais”.

Em resposta a uma pergunta se é possível confirmar a possibilidade de estabelecer uma polícia nacional, Com a extinção do PSP e do SEF, à semelhança do modelo espanhol ou francês, o Ministro da Administração Interna respondeu: “Não há confirmação nem liberação.”

READ  Consiao foi excluído da competição


“O que decorre do programa de governo é a separação entre funções policiais e administrativas no SEF, que inclui a redefinição do exercício de competências das várias forças de segurança. Inclui a PSP, o governo nacional e a polícia judiciária.”, Ele disse.

A hipótese de extinção do SEF, transferência de termos de referência para a PSP e GNR, foi reportada nos últimos dias pelo Expresso Weekly e pelas notas online do Observer e não teve comentários do governo.

Hoje, o primeiro-ministro Antonio Costa evitou falar sobre o assunto e encaminhou o caso para depois.

R: Depois de amanhã

You May Also Like

About the Author: Germano Álvares

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *