Dois quebra-cabeças de 140.000 anos | ciência | notícias | o sol

DrDe um lado, fragmentos de um crânio foram encontrados no sítio de Nesher Ramle (Israel), que tem “traços de neandertal”, mas é mais “arcaico” do que os de seus primos europeus. Além disso, como não havia Homo sapiens na área naquela época, outros fósseis não identificados datando de 400.000 anos foram descobertos nos últimos anos, seus descobridores concluindo que as pessoas que viviam lá precederam e deram à luz Neandertais. Da Europa.

Do outro lado está um crânio bem preservado, descoberto na China em 1933 por um fazendeiro que supostamente o escondeu em um poço para evitar o exército de ocupação japonês. Ele seria um homem de 50 anos. Ele também tinha características que o diferenciavam dos Neandertais – sobrancelhas largas e proeminentes, maçãs do rosto baixas e tamanho incomum, tornando-o o maior crânio da raça humana. Características distintas são suficientes para classificá-lo como uma nova espécie, chamada Homo longi (Homem Dragão), em homenagem ao vizinho Rio Dragão. Três equipes dedicam seus estudos a ele, que apareceu na revista de acesso aberto 25 de junho 25 inovação E até mesmo chegando a “classificá-lo” mais próximo do Homo sapiens do que dos Neandertais.

No entanto, as duas descobertas geraram polêmica entre os especialistas. Se houve uma época em que a forma do esqueleto era a única coisa que tínhamos que tentar localizar em nossa árvore genealógica, hoje não estamos mais lá, lembra a revisão. naturezaFragmentos de DNA podem ser recuperados de ossos com mais de 100.000 anos. Seria mais polêmico se um crânio tivesse sido removido de seu local original, impedindo-o de ser capaz de datar aquele local.

READ  Look for these astrological highlights

Certamente, muitos outros fósseis desse período foram descobertos na China ao longo dos anos e contribuíram para o quadro que está começando a surgir: os ancestrais dos neandertais chegaram à Europa vindos do Oriente Médio, enquanto seus primos ambulantes chegaram. O Oriente formou o ramo que se chamaria denisovano. Na verdade, observam muitos especialistas, nada os impede de acreditar que o achado chinês pudesse ser um denisovano, já que em um desses, além das sequências genéticas, foram encontrados apenas três dentes e dois fragmentos de osso: um ou seja, ele tinha nenhuma ideia que pareciam tais como.

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *