Dijon – Paris Saint-Germain: notas da partida

Em nome do 27º dia da Ligue 1, o DFCO recebeu o Paris Saint-Germain em Gaston-Gérard. Depois de perder para o Racing Club de Lines (2-1) no último fim de semana, os homens de David Linares estavam oito a quatro atrás de Lorient e Nantes na classificação. A derrota pelo campeão francês colocaria em risco as chances de Borgonha nas operações de manutenção. Do lado parisiense, a derrota no Parc des Princes frente ao Monaco (2-0) no passado domingo permitiu que Olympique Lyonnais e Lusk ficassem de fora. Portanto, a reação do PSG esta tarde continuou inevitável.

Após este anúncio

Para este pôster das 17h, David Linares escolheu 5-3-2 com a dupla Baldé, Konaté na liderança. Mauricio Pochettino contou com um 4-2-3-1 com passagens que incluíram Draxler, Rafinha e Danilo. Na primeira oportunidade, o Paris SG abriu o placar. À esquerda, Mbappe alertou Diallo, que se concentrou em Kane. O atacante italiano limpou seu adversário antes de deslizar a bola lentamente para a rede (0-1, 6). Arremessou bem graças à abertura do placar, e os parisienses dominaram os debates e confiscaram a bola do DFCO.

Kylian Mbappe não deixa chance para DFCO

Na marca da meia hora, o Paris Saint-Germain recebeu um pênalti por falta na área de Selena em um chute de Kehrer. Mbappe não estremeceu e mudou a frase (0-2, 31). Quando voltaram do vestiário, os homens de Pochettino decolaram. Kerrer encontrou Rafinha que havia transferido Mbappe, que teve seu tiro de torção para empatar Ratcube (0-3, 51). Em uma poltrona, o campeão francês conseguiu encerrar a partida com tranquilidade.

Sarabia, que mandou Mbappe bem, viu seu chute bem de Ratcube (79). O Paris Saint-Germain encerrou a carreira com o quarto gol de Danilo de cabeça, após cobrança de escanteio de Draxler (0-4, 82). Graças a esta décima oitava vitória da temporada, o Paris Saint-Germain subiu temporariamente para o segundo lugar na classificação.

Encontre o filme do jogo em nosso comentário ao vivo.

Jogador em campo: Mbappe (7): O campeão mundial jogou pela esquerda nos primeiros minutos da partida. Muito ativo, o ex-Mônaco causou muitos problemas para a defesa borgonhesa. A pessoa em questão participa do desbloqueio do placar parisiense, substituindo Diallo (0-1, 6). O internacional francês, que pediu desesperadamente aos seus parceiros, pediu que o jogo da sua equipa fosse claramente inclinado para a esquerda. O atacante parisiense não está tremendo para converter o pênalti (0-2, 31). Seus flashes e apelos dispararam a defesa da Borgonha. Ravinia sacou bem, seu pé interno não deixou chances para Raciope (0-3, 51). Uma bela noite do gênio francês.

Dijon

  • Rashiope (2): Enfrentando o melhor ataque da Ligue 1, o goleiro suíço só consegue dobrar. Ele sofreu dois gols nos primeiros 45 minutos, um contra Moise Kean porque seu mergulho foi intrigante e outro contra Mbappé na cobrança de pênalti, pois ele mal podia fazer nada. Além de gols, ela nunca é reconfortante sobre sua defesa, especialmente no que diz respeito a suas próprias saídas perigosas e às vezes picos perigosos.

  • Menino (2): O Dijon enfrentou muitas dificuldades nesta partida. No primeiro tempo, o PSG atacou principalmente por este lado e o gol de Kane veio aos seis minutos daquele lado. Diante de Mbappe, o ex-Rennes lutou. Mesmo quando Diallo se levanta, o nº 2 Dijon sofre uma dupla chamada de Paris aos 27 minutos.

  • Coulibaly (3): Contra a equipa parisiense, o defesa financeiro também passa por momentos difíceis. Chocado com as flechas do clube da capital. À direita da defesa central, ele tem que enfrentar nesta partida Kylian Mbappe, da esquerda. Cidadão Bondi é o homem do jogo e quando vemos Bowie e Coulibaly se apresentando, entendemos melhor por quê.

  • Ecuele Manga (4): O defesa mais experiente dos 5 presentes, e talvez o mais seguro também. Outro capitão da Ligue 1 é inestimável em sua recuperação, já que às vezes tem que substituir o goleiro nesta área. Quando posicionado no centro, ele interceptou algumas bolas e assumiu o papel de chefe, mas o resto da defesa estava muito frenético para manter o placar em branco.

  • Panzo (3): O jovem zagueiro inglês começou mal a partida quando foi acertado por Moise Kane no (sexto) placar. Ele também perdeu o segundo gol de Mbappe depois de voltar do vestiário. Um jogo muito complicado para o ex-Mônaco.

  • Mozinga (3): Na linha da esquerda da defesa do Dijon, aos 5, a lateral se posiciona bem alto no campo e tenta atacá-la. Paris abandona este aspecto e os congoleses tentam tirar proveito disso, mas seus avanços nem sempre são benéficos e falta precisão na transmissão.

  • Digger (2): O jogador mais jovem da Borgonha na grama também está sofrendo. Após a recuperação, ele não teve o mesmo desempenho de Babi Sheikh Diop. Ele quase não ganhou nenhum duelo (1 vitória em 9) e perdeu muitas bolas no meio-campo do Dijon.

  • Papa Sheik (4): Quem sabe o jogador da DFCO que oferece o melhor neste primeiro período. Sua recuperação e atividades de estresse são uma lufada de ar fresco para seus companheiros de equipe. Ele venceu a maioria de seus duelos (7 de 11 disputados). Infelizmente, ele foi forçado a sair devido a uma lesão na segunda parte da partida (71). Ele pode ser o melhor jogador de Dijon hoje, ou pelo menos o pior.

  • Selena (3): O Kosovar internacional, estacionado neste ambiente às 3, brilha primeiro com um erro defensivo. Aos 30 minutos de jogo, ele parou o chute de Kehrer com a mão e cobrou pênalti para Mbappe, que não hesitou em trocá-lo. Ofensivamente, ele tenta entrar na pista da esquerda quando Dijon colide, mas sua influência na frente ofensiva não é sentida. Vale destacar seu chute a gol no final da partida (89), o único da DFCO nesta partida.

  • Baldi (3): O avançado guineense iniciou vários contra-ataques durante o encontro, mas os seus passes foram frequentemente perdidos e por vezes muito imprecisos. Não conseguiu melhorar as poucas bolas que tocou no primeiro período (16º). Mesmo quando Assalé substitui Konaté, não consegue encontrá-lo e a sua segunda parte é como a primeira, muito confusa.

  • Konate (2): O ex-artilheiro de Amiens será bem reprimido pelos defensores parisienses esta noite. Equipado com pequenos balões, lutou para fazer a diferença contra Kehrer, Marquinhos e Kimpembe. Ele jogou 15 minutos no segundo tempo e não conseguiu se expressar como queria. Substituído por Assalé (62º).

READ  Jerome Anthony é muito inspirado pela incrível tigela portuguesa que o chef usa

Paris Saint-Germain

  • Navas (5,5): O goleiro da Costa Rica não teve nada para fazer até a prorrogação. O ex-goleiro do Real Madrid está relaxando bem depois de um belo chute de Selena (90 + 1). Uma noite muito tranquila para o interessado.

  • Vassoura (5.5): Posicionado na linha direita da defesa parisiense, o zagueiro alemão pouco teve que fazer na primeira meia hora. Ele se contentou em parar ao seu lado. Apesar de Ravinia ter mexido, seu chute desviou da mão de Selena, fazendo com que o pênalti de Mbappe (0-2, 31) fosse para o lateral-direito alemão no terceiro gol parisiense. Sua transferência para Rafinha quebra uma linha e permite que Rafinha sirva Mbappe em boas condições (0-3,51). O herói principal conseguiu um segundo ato convincente por meio de seriedade e aplicação defensiva.

  • Marquinhos (5,5): Depois de ser atingido contra o Mônaco, o capitão do Paris teve que revidar esta tarde. Em vez disso, a pessoa em questão era usada em seus lembretes e não ficava muito ansiosa em duelos com os atacantes da Borgonha. Muito focado, o defesa-central brasileiro destacou-se pela boa legibilidade do jogo e ciência do posicionamento. Uma noite tranquila no Auriverde internacional.

  • Kimpembe (5,5): Depois de lutar contra o Mônaco no último domingo, o zagueiro francês queria se recuperar na tarde de sábado. A pessoa tinha pouco a fazer, apesar de alguns duelos disputados contra Baldé. Focado em sua postura e claro em seu lembrete. O cenário da partida permitiu que ele não ficasse muito ocupado. Uma noite bastante tranquila para ele.

  • Diallo (6): Criado na linha esquerda para defesa, o zagueiro francês se destacou rapidamente. Seu centro milimétrico permite que Ken abra a gravação (0-1, 6). O ex-jogador do Borussia Dortmund gozou de grande liberdade na carreira logo nos primeiros minutos de jogo. Mesmo que tenha sido menos proeminente no segundo ato, o lado esquerdo da noite foi sério e diligente em suas intervenções.

  • Herrera (5,5): O meio-campista espanhol tentou direcionar a partida de sua equipe. Em vez de descansar em seu pequeno ambiente, o ex-jogador do Manchester United parece difícil de conter a influência física de Dijon no meio-campo. Generoso em seus esforços, ele era um estrategista disciplinado.

  • Danilo (5): O meio-campista português Mauricio Pochettino aproveitou muito pouco e tinha um cartão para jogar esta tarde. E o internacional lusitano estava bastante confortável em duelos e na influência física. A pessoa em questão enfrenta mais dificuldades técnicas quando tem que enfrentar pressões opostas. O jogador emprestado do Porto marcou o seu primeiro golo sob as cores da cabeça de Paris, após um canto de Draxler (0-4, 82). Foi substituído em 88 H. de Michotte

  • Kane (6): Logo o atacante italiano ficou claro. Aproveitando um excelente cruzamento de Diallo, o atacante não parou nos Alpes na zona de verdade para abrir o placar (0-1, 6). Como de costume, o jogador do Everton pesa nas defesas do adversário. Muito útil para ritmo e retorno ao gol. Sempre disponível para seus parceiros, o tamanho do jogo continua interessante. Capaz de cavar fundo, o internacional italiano semeou a discórdia na defesa de Dijon. Foi substituído em 71e de Sarabia Quem perde uma grande oportunidade de servir de Mbappe (79).

  • Ravinia (6): Finalmente fundado por Mauricio Pochettino, o meio-campista brasileiro traz toda sua clarividência e técnica para o meio-campo parisiense. O ex-jogador do Barcelona tentou se mover entre as linhas com vários graus de sucesso. Sua troca em favor de Kehrer causou um pênalti para sua equipe (30). Muito confortável para sequenciar em ambientes pequenos. Uma ilustração perfeita do terceiro golo parisiense, já que os seus bons passes permitem a Mbappe marcar uma dupla (0-3, 51). Voltar ao Eleven é interessante para o jogador brasileiro. Substituído em 81 por Jay

  • Draxler (5): O internacional alemão tem de se mostrar exatamente assim que lhe pedimos. Muito próximo de Mbappe e Ken em campo, e seus parceiros nem sempre o encontravam em boas condições. Mais a seu favor quando voltou do vestiário, já que estava mais envolvido nas fases ofensivas de sua equipe. Mais ágil nas viagens, o 23º parisiense é um passe fundamental no gol de Danilo Pereira (0-4,82).

  • Mbappe (7): Veja acima.

READ  Avignon revela sua programação para este verão

You May Also Like

About the Author: Aldina Antunes

"Praticante de tv incurável. Estudioso da cultura pop. Pioneiro de viagens dedicado. Viciado em álcool. Jogador."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *