Copa Árabe 2021: As águias garantem uma vaga na final

Amanhã, quarta-feira, a seleção nacional de futebol terá que escrever uma nova página em sua história e glória enfrentando seu homólogo egípcio nas semifinais da Copa Árabe (Catar 2021), a partir das quatro horas da tarde no estádio 974 (anteriormente Ras Abu). Abboud) na capital do Catar, Doha.

– Publicidade-

As águias de Cartago esperam, no final deste duro confronto com os faraós, chegar à final da alegria do futebol árabe.

Porém, o confronto de amanhã parece diferente do que o antecede na competição, até porque a parte do adversário e a qualidade do adversário não são a mesma coisa.

Os súditos do português Carlos Queiroz revelaram qualidades respeitáveis ​​nas suas carreiras, bem como a natureza dos duelos entre a Tunísia e o Egito ao longo da história e as explosões especiais que provocaram.

A Tunísia, nesta fase da competição, é chamada a confirmar o bom desempenho que deu nos seus jogos e a continuar a mostrar o mesmo entusiasmo e a mesma determinação. Para além dos aspectos tácticos e do plano que o seleccionador Munther Kabir pretende implementar na tarde de quarta-feira, o sucesso continua ligado à capacidade das águias de se ultrapassarem técnica e fisicamente.

Em termos de composição, o corpo técnico tunisiano deverá fazer algumas alterações que ainda estão em estudo. E por um bom motivo, o Egito é tecnicamente forte e cada partida tem sua própria realidade que precisa ser levada em consideração.

A única questão que se coloca é: “Kepper pretende escolher 4-1-3-2, 2-5-3 ou 3-4-3?” “

Em qualquer caso, mudanças são necessárias no nível de formação das águias que enfrentarão os faraós. De fato, com a chegada de reforços ao longo do caminho, em particular o defensor Muntasir Talbi, que deve encontrar seu lugar ao lado de Yassine Marais.

See also  Ronaldo critica na Itália: "Cristiano, o que está acontecendo?"

Ali Maaloul, que parece ter recuperado da lesão muscular, pode oferecer uma solução no lado esquerdo ao treinador no lugar de Mohamed Amine Benhamida, mas a decisão continuará a ser difícil tendo em conta o desempenho e a forma física que demonstrou. o último.

Portanto, a escolha da equipe técnica será entre o frescor físico do Esperanto Ben Hamida e a experiência de Ahlawy Ali Maaloul.

No flanco direito, Mohammed Dragher, “homem em campo” contra o Omã, deve logicamente manter seu lugar.

O médio também passará por algumas alterações com a possível volta de Mohamed Ali Bin Ramadan ao lado de Ferjani Sassi e Ghilan Chellali, dadas as suas capacidades defensivas e em período de recuperação.

O ataque não será derrotado. Kebayer terá de, entre outras coisas, reduzir um dos seus elementos responsáveis ​​pelas animações ofensivas (Masakini, Celti ou mesmo Mjbari) para fortalecer o seu meio-campo.

Na frente, Seif El-Din El-Jaziri (4 gols) deve logicamente manter sua posição e ser chamado a redobrar seus esforços contra uma defesa egípcia controlável.

Quanto à seleção da seleção egípcia, o tempo está se esgotando para a equipe técnica, que espera resgatar Ahmed Hegazy e Hamdi Fathi, além do goleiro Mohamed El-Shennawy, lesionado.

Diz que o português Queiroz está a adquirir experiência suficiente para gerir este tipo de situação e não hesitará em colocar todas as cartas ao seu dispor para vencer a Tunísia.

O jogo de amanhã é apresentado como um jogo aberto, onde todos os cenários são possíveis. Além disso, o tempo extra pode não ser suficiente para escolher entre dois dos mais perigosos candidatos ao pódio.

A outra semifinal colocará o Catar contra as raposas do deserto argelino.

You May Also Like

About the Author: Lucinda Lima

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *