Cop26: Guterres não está feliz

O Secretário-Geral das Nações Unidas não esconde a sua decepção com o baixíssimo nível de compromissos assumidos pelos governantes.

Mesmo que os especialistas e os diversos eventos mundiais relacionados ao clima não consigam atingir os objetivos esperados da Cop26, eles serão ouvidos no mais alto nível. Já que encontraram no Secretário-Geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, o melhor amplificador. Antes mesmo do fim do negócio, Antonio Guterres não veste a camisa para denunciar o acordo mínimo com o qual vários governos parecem satisfeitos. A France 24 informou que decidiu em 13 de novembro que o “conceito” encontrado pelos participantes estava repleto de contradições. “O desastre climático sempre bate à porta”, lembra. Secretário Geral deNSNua, ela já havia denunciado em 11 de novembro as promessas “vazias” de um mundo ainda dependente de combustíveis fósseis, apesar de alguns sinais encorajadores, observou Low Point. O ex-primeiro-ministro português, conhecido pela sua franqueza, referiu que “as ligações em Glasgow são promissoras mas não suficientes”. Para ele, “cada país, cada cidade, cada empresa e cada instituição financeira devem reduzir suas emissões de forma drástica, confiável e verificável, e“ descarbonizar ”suas carteiras, a partir de hoje”.

Mas Antonio Guterres tentou evitar o que parecia ser uma grande decepção para ele. Pois ele tentou influenciar as discussões desde o início dos trabalhos. “Estamos cavando nossa própria sepultura”, alertou 1Ele é Novembro, o Secretário-Geral das Nações Unidas, na abertura da Cúpula de Líderes Mundiais, no segundo dia da Conferência do Clima das Nações Unidas, COP26, em Glasgow, Reino Unido. “O tempo está se esgotando para as mudanças climáticas. Os líderes devem agir por “Salve a humanidade” dos efeitos do aquecimento global. E para lançar: É hora de dizer ‘Basta’!

Por sua vez, os gestores tentam salvar a Cop26 da imagem de reunião perdida que geralmente lhe é dada no final do expediente. Mas nenhuma voz é mais ouvida do que a de Antonio Guterres.

O Reino Unido – por meio de seu primeiro-ministro, Boris Johnson – está tentando apresentar a reunião como um “grande passo à frente”. Mas o pedido de desculpas do chefe da Cop26, Alok Sharma, que disse estar “profundamente arrependido” pela forma como a operação transcorreu, parece ser uma admissão de fracasso por parte dos britânicos.

See also  Finalmente encontramos uma alternativa para JPEG?

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *