Biden dá uma chance às Nações Unidas

Vivemos no mundo em que vivemos e não no mundo que gostaríamos de ter. Preferimos estar cercados de gente decente, mas sempre há estranheza aqui e ali. É a mesma coisa em grande escala. Temos que viver, nas Nações Unidas, em particular, com os desgraçados que aí se escondem.

Joe Biden conhece bem os assuntos internacionais. Ele começou a trabalhar no Comitê de Relações Exteriores, que presidiu duas vezes em seus 36 anos no Senado. Então, durante seus oito anos como vice-presidente, ele viajou o mundo em nome de Barack Obama.

Ele também é estagiário, Joe Biden. Um homem que acredita em argumentos de corredor, discute com seus oponentes e faz concessões dolorosas. Foi o que lhe ensinou meio século na política, o que lhe permite, ainda hoje, ter esperança na aprovação de seus grandes projetos de investimentos estimados em vários trilhões de dólares.

Esses interesses interligados no mundo e negociações nos bastidores levaram-no a buscar e garantir um lugar para os Estados Unidos no controverso Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas. “Polêmico” não se encaixa muito bem quando você percebe quem está sentado neste fórum; Pode ser mais grotesco relacionado.

‘Um atoleiro de preconceito político’

Washington está se recuperando dentro deste órgão intergovernamental. Donald Trump saiu com alarde em 2018, quando seu embaixador nas Nações Unidas condenou o preconceito anti-Israel e uma lista de membros repleta de notórios violadores dos direitos humanos.

O preconceito contra Israel é inconfundível e quase constrangedor: Mais decisões foram tomadas contra o estado hebraico por seu tratamento aos palestinos do que contra todos os outros violadores de direitos no planeta … combinados.

See also  Austrália oferecerá compensação à 'geração roubada' aborígine

A situação dos palestinos sob a ocupação israelense merece condenação inequívoca e a comunidade internacional – com os Estados Unidos e o Canadá na vanguarda – deve continuar a se engajar na criação de um estado palestino vivendo pacificamente ao lado de Israel.

O pior de tudo

Dito isso, é duvidoso que muita atenção tenha sido dada a este conflito às custas de abusos tão sérios, senão piores, em outras partes do mundo.

Esterilização forçada de uigures na China? Perseguição gay em comparação com animais na Nigéria? Campos de trabalho e execuções sumárias na Coreia do Norte?

Ao entrar na Casa Branca, Joe Biden prometeu colocar o respeito pelos direitos humanos no centro de sua política externa, daí seu retorno ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas. Ele teria que apertar o nariz e o cotovelo para promover seus ideais.

Os Estados Unidos ficarão ao lado de Camarões, onde as forças do governo são acusadas de tortura e assassinato, a Eritreia, além de continuar com os abusos dos direitos dos indivíduos, recentemente cometeu outros abusos no Tigray, na Etiópia, e nos Emirados Árabes Unidos, cuja “falsa imagem de tolerância “Human Rights Watch arranhou no início do dia. Este mês.

Enfim, mais um desafio para um presidente que não falta.

Conselho de Direitos de um homem Nações Unidas

  • Com sede em Genebra, Suíça.
  • Chefiado desde janeiro de 2021, Fijian Nozha Shamim Khan.
  • É composto por 47 membros eleitos pela Assembleia Geral das Nações Unidas.
  • Foi criado para promover e proteger os direitos humanos em todo o mundo.

Defensores dos direitos humanos duvidosos

Somália

  • Conflitos armados, insegurança, falta de proteção e crises humanitárias expõem os civis somalis a graves abusos. ”
See also  The new COVID-19 strain is spreading worldwide: cases in Canada, Japan and the European Union

Os Emirados Árabes Unidos

  • Apesar de declarar 2019 o Ano da Tolerância, a liderança dos Emirados não demonstrou tolerância para qualquer forma de dissidência pacífica. ”

Cuba

  • O governo cubano continua reprimindo e punindo os dissidentes. ”

China

  • “13 milhões de uigures e outros muçulmanos em Xinjiang enfrentam repressão severa [avec] Prisões em massa arbitrárias, vigilância, doutrinação e destruição do patrimônio cultural e religioso. ”

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *