As vacinas de mRNA não afetam a qualidade e a quantidade dos espermatozoides … Pelo contrário

primário

  • Realizado em 45 homens adultos saudáveis ​​que receberam duas doses da vacina de mRNA (Pfizer ou Moderna), o estudo mostrou que a vacinação não afetou a qualidade, concentração ou motilidade dos espermatozoides.
  • Homens com baixa contagem de espermatozoides, mesmo após a segunda dose, mostraram um aumento significativo no número de espermatozoides móveis.

As vacinas de RNA mensageiro afetam a fertilidade masculina? Enquanto na França quase 70% da população adulta recebe agora um esquema de vacinação completo, esse argumento tem sido difamado por “antioxidantes” para justificar sua recusa em ser vacinada. Segundo eles, as vacinas de RNA mensageiro (Pfizer e Moderna) potencialmente prejudicam a fertilidade e até mesmo as tornam estéreis.

Um estudo foi publicado em junho passado em gama Mostra que essas vacinações, ao contrário, não têm efeito sobre os parâmetros dos espermatozóides, ou seja, sua concentração, motilidade ou número total.

Mais espermatozoides móveis

Pesquisadores da Universidade de Miami (EUA) conduziram este estudo prospectivo de centro único em 45 homens saudáveis, com idade entre 18 e 50 (idade média de 28), de dezembro de 2020 a janeiro de 2021. Todos eles forneceram uma amostra de sêmen após 2 Sete dias de abstinência antes de tomar a primeira dose da vacina. 21 (46,7%) receberam a vacina Pfizer e 24 (53,3%) receberam a vacina Moderna. Uma segunda amostra de sêmen foi fornecida aproximadamente 70 dias após a injeção da segunda dose.

As análises realizadas pelos pesquisadores incluíram medição do volume do esperma, concentração do esperma, motilidade do esperma e contagem total de espermatozoides móveis (TMSC).

Os resultados mostraram que a concentração espermática média da linha de base e TMSC foram 26 milhões / ml e 36 milhões, respectivamente. Após a segunda dose da vacina, a concentração média de espermatozoides aumentou significativamente para 30 milhões / ml e a média do TMSC para 44 milhões. Mas isso não é tudo, porque os resultados também mostram um aumento significativo no volume e na motilidade dos espermatozoides.

See also  Exame na AFPA Limoges

Dos 45 participantes, 8 apresentavam oligospermia antes da vacina, ou seja, tinham uma concentração anormalmente baixa de espermatozoides no sêmen. Destes oito voluntários, 7 aumentaram sua concentração de esperma.

Limites em estudo

Para os pesquisadores, esses resultados mostram claramente que as vacinas que contêm mRNA e não um vírus vivo não afetam a qualidade ou a quantidade dos espermatozoides. No entanto, eles alertaram que esses resultados devem ser mantidos em mente, porque foram obtidos de uma pequena amostra de participantes, com boa saúde e na ausência de um grupo de controle. Além disso, eles estão cientes de que esse aumento nos parâmetros do esperma também pode ser devido a um período prolongado de abstinência antes da segunda amostra.

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *