As primeiras próteses eram egípcias

Foto: AFP

France Media Agency


Dois dedões falsos, um dos quais em uma múmia egípcia, podem ser o primeiro membro artificial verdadeiro a existir, de acordo com cientistas que pediram a voluntários para verificar o funcionamento correto de réplicas desses objetos raros.

Um estudo publicado na segunda-feira pelo British Medical Journal indica que essas duas próteses de dedo egípcias que datam de mais de 600 aC apresentam vestígios de uso, indicando que foram usadas e não apenas usadas para restaurar a integridade física da múmia. O bisturi.

Jacqueline Finch (do Centro Biomédico de Egiptologia da Universidade de Manchester na Grã-Bretanha) mostra que uma prótese de madeira e couro no Museu Egípcio do Cairo e outro dedo exposto no Museu Britânico em Londres realmente ajudaram seus pacientes. Anda em.

“O dedão deve segurar cerca de 40% do peso corporal”, diz ela, acrescentando que também desempenha um papel importante no avanço.

O Dr. Finch recrutou dois voluntários com amputação do dedo do pé direito para testar o uso de réplicas dessas duas próteses: uma com duas dobradiças de madeira e a terceira provavelmente de couro, e a outra de papelão, que é um tipo de papel . – Massa adesiva e revestida com gesso colorido. Esta segunda prótese é chamada de “dedão do cemitério Chester” em homenagem ao complexo que permitiu ao Museu Britânico adquiri-la em 1881.

A Sra. Finch explica que “os dois dedos falsos dos antigos egípcios se comportaram muito bem” e explicou que os voluntários usavam sapatos egípcios durante esses testes.

Um voluntário conseguia andar tão bem com uma prótese de papelão quanto com uma prótese de madeira, e os voluntários acharam o desenho da prótese de madeira com dobradiças “particularmente confortável”, de acordo com o estudo.

READ  Vídeo. Dança em gravidade zero para o avanço da ciência

Sua abordagem pode ser analisada por meio de câmeras e sensores de pressão colocados em seu caminho.

O Dr. Finch conclui: “Meus resultados indicam que essas duas formas foram capazes de agir como um substituto para o dedo ausente e que poderiam então ser consideradas membros artificiais.”

Portanto, os primeiros passos neste ramo da medicina devem ser atribuídos aos antigos egípcios. A ciência da prótese, segundo Finch, começou a surgir no Vale do Nilo, vários séculos antes da criação de uma prótese de perna datada de cerca de 300 aC, encontrada em uma rica tumba romana em Santa Maria de Cápua e até então considerada a prótese funcional mais antiga conhecida.

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *