Após reconfiguração parcial, Portugal está preocupado com o verão

Na cidade portuária de Setúbal, a 40 minutos a sul de Lisboa, não há muitas pessoas em frente ao cais de ferry que atravessa a Península da Comporta. “Normalmente, nesta época do ano, tem muita gente aqui. Fica cheio de turistas que vão à praia”.Diz Brigitte, uma jovem alemã. Desta vez, ela é a única turista estrangeira que pegou o barco para as praias do outro lado, a cerca de vinte minutos de distância.

Portugal espera reanimar o sector do turismo, um dos pilares do seu crescimento, paralisado pela crise do Coronavírus. A fronteira com seu vizinho espanhol foi reaberta na quarta-feira, 1º de julho. Mas a suspeita mantém-se: as autoridades portuguesas tomaram medidas restritivas na região da capital nos últimos dias, após o surgimento de várias fontes de poluição.

Pensamos em cancelar, mas, como reservamos há muito tempo, decidimos ir mesmo assim.

Brigitte, uma jovem turista alemã

Para a França

Brigitte desfruta de paisagens deslumbrantes neste setor. “Estamos no paraíso. A areia é branca e o mar é azul como o céu. Todos os dias os golfinhos vêm nos visitar.”, Descreve Patricia, principal gestora de praia da Comporta. A habilidade existe e as regras de distanciamento social são respeitadas. Mas faltam turistas internacionais. “Claro que estamos preocupados. Todos têm medo e isto é em todo o mundo, não apenas em Portugal. Vamos ver o que acontece.”Profissional continua.

Salvar a época turística é o objetivo de Luís Araujo, presidente da Autoridade Geral do Turismo de Portugal, que se orgulha dos 18 milhões de estrangeiros que anualmente visitam o país. “Se não conseguirmos devolver o mesmo número de turistas, teremos graves problemas económicos. Haverá mais desemprego e as pessoas perderão os seus empregos. O turismo em Portugal está a aproximar-se dos 400 mil pessoas.”

Note-se que 10% da força de trabalho de Portugal depende do turismo.

Luis Araujo, Presidente do Turismo de Portugal

Para a França

Para evitar o pior, Luis Araujo conta com o apoio da diáspora portuguesa, que é um número muito grande de todo o mundo: “Eles vêm todos os anos e tenho certeza que voltarão este ano. Agora é a hora de ajudar o país, de ajudar a economia, de ajudar as pessoas que dependem do turismo. Um momento de compromisso”. Os lucros repentinos do turismo permitiram que a economia portuguesa recuperasse antes da crise do coronavírus.

Os turistas estrangeiros demoram a regressar a Portugal e os profissionais estão ansiosos.

READ  OpenLux: Financiamento de Luxemburgo passou por um raio-X

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *