Angola: Projeto Beta Gigante de Água Potável Obtém Financiamento de $ 500 Milhões

O Projeto de Abastecimento de Água Potável de Luanda da BETA recebe novo financiamento. Esta é uma doação de US $ 500 milhões do Banco Mundial e da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). O acordo de financiamento foi recentemente assinado em Luanda pela ministra das Finanças angolana, Vera Davis, pelo Director Regional do Banco Mundial para Angola, Jean-Christophe Caret, e pelo Director da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) em Angola, Suchet Louis-Antoine.

No total, Angola recebeu US $ 1,867 bilhão em financiamento, parte do qual foi alocado para apoio ao orçamento, Projeto de Melhoria e Acesso ao Setor Elétrico e Projeto de Empoderamento de Meninas. Aprender é para todos (Pat 2). Assim, o projecto de água potável em Luanda regista o seu segundo financiamento após financiamento Banco Africano de Importação e Exportação (Afreximbank), uma instituição multilateral de financiamento do comércio africano criada em 1993 sob os auspícios do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

Infraestrutura extensa …

Projeto de abastecimento de água potável em Luanda Através O BETA, que recebe financiamento de US $ 500 milhões do Banco Mundial e da Agência Francesa de Desenvolvimento, exigirá um investimento total de US $ 900 milhões. O projecto será implementado por um consórcio composto pelo grupo francês Suez, Mota Angel, uma empresa de construção portuguesa, e a Soares da Costa, uma empresa de construção civil com sede no Porto, Portugal.

Leia também- Água potável: estes grandes programas africanos que estão transformando a situação localmente

O projeto prevê a construção de uma usina de água potável com área de 260 mil metros quadrados3 Em Beta, uma cidade a 40 km de Luanda. Esta estação irá funcionar graças a uma entrada de água instalada no rio Kwanza, que passa perto da capital, Luanda, antes de desaguar no Oceano Atlântico. O projecto visa ainda colocar 82 quilómetros de condutas principais para abastecer quatro novas linhas de distribuição em áreas de serviço peri-urbanas, actualmente não abastecidas, a sul da capital, Luanda. São eles Cabolombo, Mundial, Ramiros e Bita. A adução de água principal será também alargada para abastecer dois centros de abastecimento existentes mas em falta no subúrbio de Luanda. Os concelhos da Camama e Benfica não serão abastecidos com petroleiros. O governo angolano estima que as futuras instalações de abastecimento de água potável irão beneficiar 7,5 milhões de pessoas.

READ  Grande Prémio de Portugal | Vantagem de Hamilton e Mercedes

Jean Marie Taculio

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *