Andebol: Portugal, perdido no trauma e enlutado, quer ir a Tóquio por Alfredo Quintana

Os jogadores de andebol portugueses chegam a Montpellier com o coração e a mente sobrecarregados após a morte do guarda-redes, que foi enterrado há pouco mais de uma semana, e tentará vencer as primeiras eliminatórias olímpicas em sua memória.

“Por Portugal, Por Ti” (para Portugal, para si). Com esta mensagem, a Federação Portuguesa de Futebol informou os 20 jogadores convocados para o Torneio Olímpico de Qualificação (TQO), com uma foto de Alfredo Quintana a preto e branco. Um país jovem no mundo do andebol nos últimos anos (sexto no Euro 2020, vencendo a França no processo), Portugal imaginou aproximar-se da TQO numa posição muito estranha para conseguir um dos dois bilhetes de Tóquio. Distribuído em Montpellier de sexta a domingo, contra França, Croácia e Tunísia. Mas tudo mudou no dia 22 de fevereiro …

Paixão subindo ao topo do estado português

Antes de iniciar o aquecimento pelo FC Porto, Alfredo Quintana, de 32 anos, sofreu um ataque cardíaco. Levado para um hospital do Porto, morreu quatro dias depois, e todos os adeptos do andebol, em Portugal e no estrangeiro, mergulharam no luto. No dia da sua morte, o treinador Paulo disse: “Quero acreditar que todos vamos conseguir responder àquela que é, com certeza e para todos nós, a pior derrota que já assistimos na nossa vida desportiva”. Pereira, em entrevista à Rádio Portuguesa Antena 1. “Sentiremos muita falta dele. Devemos aceitá-lo e ter força suficiente para continuar”, continuou ao microfone Monitor de Rádio. As emoções escalaram até ao cume do país, onde o presidente português Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, na sede da República, um desportista “que conquistou raro respeito e admiração entre os seus pares”.

“Lembrei-me dos momentos de alegria que ele levou no campo. Ele foi um bom exemplo para os jovens”.

Luke Appalo

Luke Appalo também ficou emocionado ao falar sobre um jogador que conheceu várias vezes em campo: “Mesmo que o conhecesse apenas como adversário, fiquei muito emocionado quando soube do seu desaparecimento. Isso me fez pensar muito , principalmente pelo fato de o handebol ser uma grande família. Eu o respeito muito. Pelo seu nível de desempenho, mas também pela humanidade que apresentou em campo, Quintana mostrou muita motivação. Lembrei-me dos momentos de alegria que carregou. no campo. Ele foi um bom exemplo para os jovens. ” No grupo de vinte jogadores portugueses escolhidos por Pereira para ir a Montpellier, meia joga no FC Porto, clube onde Quintana joga desde 2010. Aos poucos, elevou a equipa ao mais alto nível europeu ao participar na Liga dos Campeões ao longo de várias épocas.

See also  Espanha: Barcelona venceu o Betis com Super Messi

De ascendência cubana, à semelhança de outros “heróis do mar” (apelido português de eleição) como Alexis Borges, Daymaro Salina ou Victor Iturriza, Quintana foi naturalizado em 2014. Através da sua incrível flexibilidade e reflexos, alimentou combos mais fantásticos e tornou-se um dos melhores guardas florestais. O objetivo neste planeta. “Pode ter certeza que aqui continuaremos a honrar sua memória. Você viverá para sempre em cada pessoa que teve o privilégio de estar em sua vida. Tenho certeza de que você sempre nos observará e será nosso anjo da guarda, “escreveu Ituriza, o hub do FC Porto, na sua conta do Instagram. O extremo direito de Tremblay, Pedro Portella, afirmou: “Todo o grupo sente falta de Alfredo Quintana”, mas “todos os jogadores estão mentalmente prontos para se qualificar”.

“O jogo com Portugal preocupa-me um pouco, para ser franco. Não quero jogar nas nossas eliminatórias neste último jogo”.

Porta dos namorados

Resta saber como os portugueses no terreno irão reagir a esta tragédia. O primeiro elemento de resposta veio do FC Porto, que venceu (38-31) há uma semana frente aos noruegueses de Elverum na Liga dos Campeões. “Uma resposta excepcional”, de acordo com o treinador Paulo Pereira, que espera “algo semelhante” durante o TQO, para colocar “total confiança” nos guarda-redes – ainda que inexperientes a nível internacional – exigiu a substituição de Quintana nas jaulas portuguesas. Em todo o caso, Abalou espera que Portugal consiga, em Montpellier, mostrar o seu melhor: “É uma prova muito difícil para eles, embora também os possa motivar, fazer com que se sobressaiam. suas emoções, por mais legítimas que sejam. Temos que jogar nosso handebol e ignorá-lo. Agora, espero que esse drama no TQO os motive mais do que o contrário. Porque até para enfrentarmos um time que vai ficar deprimido depois esta derrota, não seria muito justo. Então, espero que eles se classifiquem com a gente. “

See also  Carlos Vinicius, astro do Tottenham, admitiu que quase desistiu do futebol duas vezes

Por seu turno, o outro extremo direito francês, Valentin Porte, quer desconfiar: “O jogo com Portugal (domingo) preocupa-me um pouco, para ser sincero, não quero jogar nas nossas eliminatórias neste último jogo. Eles perderam Alfredo, o que me deixou muito triste, Como todo mundo que o conhecia. Então, sabe, quando algo muito emocionante acontece, você muitas vezes joga atrás de você com um espírito extra, em um nível que você não esperaria. acho que Portugal vai parecer diminuído, mas pelo contrário vejo que esta equipa está a usar – entre aspas – esta dor para melhorar. ” A resposta começa sexta-feira com um primeiro jogo, que se espera seja decisivo para os portugueses, frente à Tunísia, que é o seu adversário mais caro.

You May Also Like

About the Author: Germano Álvares

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *