A França foi eliminada em oitavo lugar pela Suíça nos pênaltis após uma partida louca

Jogo: 3-3 de agosto, 4-5 nos pênaltis

Foi incrível, majestoso, extraordinário e também sem esperança, e no final, os Blues e seus apoiadores têm apenas olhos para chorar. A França é campeã mundial, obviamente entre as favoritas do evento, mas levou um tapa na segunda-feira, sua campanha, no final de um cenário louco contra a Suíça (3-3 AB, 4-4). 5 na guia). Dando o bastão para bater por cerca de uma hora na frente de uma máquina totalmente lubrificada, o Blues em um ponto virou tudo, levado pela graça recém-descoberta de muitos de seus jogadores, antes de quebrar, em seguida, arrastá-los para o final de um pênalti tiroteio.

Desde o início, o início da partida deu a impressão de um jogo que a turma não dominava para Didier Deschamps. Em perigo semelhante a três zagueiros centrais, incapaz de realizar qualquer ação digna de seu nome, Seferovic também encontrou um castigo lógico para a França. Os Blues estavam frenéticos e o resultado inicial simbolizava isso mesmo, com Pavard longe a apontar e Lenglet devorado no duelo do avançado do Benfica (0-1, 15). O que resta do primeiro período? Nada entre os homens de Didier Deschamps.

A substituição quando o zagueiro do Barcelona foi quebrado por Kingsley Coman, ou seja, no final da tripla defesa, inicialmente não mudou nada. Porque os helvéticos tiveram uma oportunidade de ouro de elevar a marca para 2-0. Mas Lloris fez um milagre com uma cobrança de pênalti (veja abaixo), após o qual tudo pareceu mudar em três minutos graças ao sensacional Benzema (veja abaixo). A França acabava de assumir a liderança e Paul Pogba aumentou o placar para 3-1 com um chute brutal de 25 metros (75º lugar). A partida foi encerrada? Não tão.

READ  "Férias em campervan são uma escolha de estilo de vida"

Demon Seferovic deu esperança à Suíça com um novo cabeçalho poderoso (3-2, 81), e Gravanovic Kimpembe colocou no vento com um gancho, antes de Loris ajustar de forma impressionante (3-3, 90). Tudo teve que ser reconstruído e foi terrível. Mas a França quase conseguiu a vitória por etapas, mas Koeman, com sua recuperação no final da prorrogação, mandou a bola por cima da barra (90 + 4).

O trecho foi irrespirável, marcado pela vontade de Koeman de não sair de campo, e também marcado por ações dos dois lados, oportunidade perdida por Mbappe (110º colocado). O destino deste emocionante confronto foi decidido durante a disputa de pênaltis. A França não joga desde a final da Copa do Mundo de 2006 e terminou mal (1-1 ainda, 3-5 nas abas). Na noite de segunda-feira, infelizmente, Mbappe substituiu Trezeguet e a história se repetiu.

Jogador: Benzema fez tudo

Ele lutou para encontrar a rede para o seu retorno à seleção, e seu golo contra Portugal (2-2) foi executivo. Mas o que Karim Benzema fez na noite de segunda-feira foi ainda maior: os Blues estavam debaixo d’água quando o atacante do Real Madrid os tirou da apnéia. Há anos que os adeptos do Santiago Bernabéu apreciam os seus gestos elegantes, ao tocá-los, e num deles o avançado trouxe a sua equipa de volta à cena. Mbappe mandou a bola bem fundo e pousou atrás do corpo e, inevitavelmente, a partida não pôde ser finalizada por 99% dos jogadores.

A alegria de Karim Benzema, que justo (F. Faugère / L’Équipe)

Mas o atacante merengues tem um talento extraordinário: controle extraordinário da perna de trás, ele conseguiu recuperar a bola na direção da partida, antes de ajustar Sommer com um pequeno mergulho da esquerda (1-1, 57). Dois minutos depois, após um chute de Griezmann desviado pelo goleiro suíço, ele observava o segundo poste para colocar a França na frente (2-1, 59). “Metas são como ketchup: quando chegam, todas vêm ao mesmo tempo.”Cristiano Ronaldo disse. Seu ex-parceiro no Real Madrid provou que ele estava certo. Mas, tal como o português, o “Benz” não vai estar presente nos quartos-de-final.

READ  Foot - ITA - Juventus está sob supervisão de Torino na Série A italiana

Verdade: Loris, a parada inútil no final

Depois de já ter liderado por 1-0, a França está em perigo antes que a hora passe. Sim, o Mbappe acabou de entrar em colapso na zona suíça, mas se o VAR chama o árbitro, é por causa de uma chamada anterior. No trabalho, o tom é completamente invertido. Pavard cortou bem Zuber e Rapallini, depois de ver as fotos, aponta a marca do pênalti. Ricardo Rodriguez avança, puxando com força para o chão à sua esquerda. Incapaz de bloquear qualquer um dos últimos 15 pênaltis sofridos pelos Blues em campo, Hugo Lloris se inclina para a direita e desvia do chute, mantendo a França viva. Uma hora depois, impulso, o guarda poderia ter se vestido de herói. Mas ele não conseguiu bloquear a menor tentativa dos suíços nos pênaltis.

67

Já se passaram 67 anos desde que a Suíça se classificou após uma eliminatória em uma grande competição internacional. Em 1954, o time Helvetii foi eliminado nas quartas de final da Copa do Mundo. Eles enfrentam a Espanha na sexta-feira.

You May Also Like

About the Author: Aldina Antunes

"Praticante de tv incurável. Estudioso da cultura pop. Pioneiro de viagens dedicado. Viciado em álcool. Jogador."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *