A epidemia diminuiu em todo o mundo esta semana, com exceção da Ásia

A pandemia de coronavírus desacelerou esta semana em todas as regiões do mundo, exceto na Ásia, devido ao surto na Índia e seus vizinhos: Aqui estão os desenvolvimentos semanais surpreendentes, retirados de um banco de dados AFP.

Leia também: Direto | Os últimos desenvolvimentos no Coronavirus

Leia também: Pfizer está solicitando autorização total para sua vacina

Leia também: A vacina está no cerne dos conflitos familiares?

Um indicador importante, no entanto, é que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do número real de infecções, e as comparações entre os países devem ser feitas com cautela, pois as políticas de teste variam de país para país.

Com 789.500 lesões diárias registradas no mundo esta semana, o índice caiu ligeiramente (-4% em comparação à semana anterior) pela primeira vez em 10 semanas, de acordo com um relatório da AFP que parou na quinta-feira.

O índice começou a crescer continuamente a partir de 20 de fevereiro, após uma queda sem precedentes por mais de um mês no início do ano, conforme o número de feridos caiu pela metade, ou cerca de 355.000 casos diários.

Nas últimas semanas, a aceleração global foi causada principalmente pelo surto na Índia. Com exceção da Índia, o resto do mundo já viu uma desaceleração da epidemia desde meados de abril.

Apenas a Ásia está vendo uma aceleração nas infecções (+ 10%), na esteira da Índia, que esta semana registrou quase metade dos casos globais: 385.800 por dia.

A epidemia está diminuindo significativamente em todas as outras regiões: -25% na África, -24% na Europa, -13% no Oriente Médio, -12% nos EUA / Canadá, -12% na Oceania e -8% na América Latina América / Caribe.

READ  Uigur: Canadá lança série de sanções contra Pequim

O Nepal continua a ser, pela terceira semana consecutiva, o país onde a epidemia mais se acelerou (+ 101%, 7.300 novos casos por dia), entre os países que registraram pelo menos 1.000 infecções diárias na semana passada.

Sri Lanka (+ 82%, 1.800), África do Sul (+ 32%, 1.500), Bahrein (+ 15%, 1.200) e Malásia (+ 14%, 3.300).

As duas principais acelerações desta semana estão afetando dois países, Nepal e Sri Lanka, que fazem fronteira com a Índia, que foram expostos há semanas por uma nova variante suspeita de ser mais contagiosa.

O declínio mais forte durante a semana foi observado na Etiópia (-48%, 600 novos casos por dia), à frente da Ucrânia (-46%, 5400), Bulgária (-44%, 800), Bangladesh (-42%, 1700) e Polônia (-39%).%, 4700).

Atrás da Índia (385.800 casos diários, + 10%), os países com o maior número de novas infecções nesta semana são Brasil (59.000, -2%), Estados Unidos (45.600, -13%), Turquia (27.000, -34 )%) E Argentina (20100, -11%).

Em termos de população, os dois países com os maiores casos de infecção esta semana são, de longe, as Seychelles (1.223 por 100.000 habitantes) e as Maldivas (668).

No entanto, esses dois arquipélagos estão entre os países mais vacinados do mundo. Principalmente nas Seychelles, onde mais de 60% da população está totalmente vacinada. Os dois países estão vacinando em doses quase iguais de Sinopharm e AstraZeneca / Oxford.

A Índia também lidera o ranking desastroso de mortes diárias (3.619 por dia nesta semana), à frente do Brasil (2.252), Estados Unidos (710), Colômbia (455) e Argentina (394).

Globalmente, as mortes diárias diminuíram ligeiramente nesta semana (12.860 por dia, -3%).

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *