A Embaixada de Israel acusa a TV chinesa de “anti-semitismo flagrante”

Pequim | A embaixada israelense na China criticou fortemente o “flagrante anti-semitismo” da televisão chinesa quando relatou o apoio de Washington ao Estado hebraico.

Em um vídeo postado no Twitter na terça-feira, o serviço em inglês do canal de notícias público chinês CGTN destacou o “forte lobby” dos judeus nos Estados Unidos e afirmou que “os judeus dominam os setores financeiro, de mídia e da internet” naquele país . .

Em resposta, a embaixada israelense na China disse, na noite de terça-feira: “Está horrorizada com o flagrante anti-semitismo expresso pela mídia oficial chinesa”.

“As alegações no vídeo são racistas e perigosas e não devem ser usadas pela mídia que se preze”, acrescentou a embaixada no Twitter.

Os comentários da CGTN vêm como confrontos entre Israel e os palestinos são os mais ferozes em uma década, ceifando a vida de pelo menos 217 palestinos em ataques israelenses desde 10 de maio, de acordo com o Ministério da Saúde de Gaza.

Enquanto isso, 12 israelenses foram mortos por foguetes palestinos, de acordo com a polícia israelense.

Pequim criticou a “obstrução” americana à emissão de uma declaração do Conselho de Segurança da ONU pedindo o fim das hostilidades.

No domingo, o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse que “devido a uma obstrução do país, o Conselho de Segurança não pôde falar a uma só voz” e pediu a Washington que “assuma a responsabilidade” nas Nações Unidas.

READ  5 things to know for December 31: Coronavirus, Relocation, Stimulus, Brexit, Yemen

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *