A Apple estava vendendo computadores com defeito de propósito

Um juiz da Califórnia determinou que a Apple dos Estados Unidos vendeu intencionalmente MacBooks defeituosos

O caso diz respeito ao modelo Macbook Pro lançado em 2016. Um juiz da Califórnia decidiu que a Apple havia vendido intencionalmente computadores com um cabo defeituoso.

Vários usuários descobriram que depois de um tempo, a parte inferior da tela não estava mais iluminada por trás de maneira adequada, antes que a tela ficasse completamente solta.

A Apple estava ciente desse alegado defeito.

Na raiz desse problema está um cabo com defeito dentro do dispositivo responsável por fornecer a tela. Abrir e desligar o computador criou tensão que acabou danificando o cabo. Assim que o último, que valia 5 €, parou, todo o ecrã teve de ser alterado. Reparo até 600 euros.

A gigante americana não reconheceu essa falha e tentou modificá-la discretamente. Em 2018, os novos modelos de Macbook pro incluíam um cabo 2 mm mais longo.

Em maio de 2019, uma petição dos consumidores afetados mudou o jogo. É retransmitido na mídia, pois encontra um eco importante e obriga a Apple a oferecer uma solução gratuita para o problema.

O juiz Edward Davila concluiu: “Testes de pré-comercialização combinados com reclamações de clientes são suficientes para mostrar que a Apple estava ciente desse alegado defeito.” No momento, o problema não é um trabalho em equipe, mas pode se tornar um.

See also  Com o Android 12, o aplicativo deixará de funcionar no smartphone

You May Also Like

About the Author: Octávio Florencio

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *