Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Fátima tem novo restaurante vegetariano

Desde o início deste ano que os apreciadores de cozinha vegetariana e os que pretendem conhecer esta alimentação têm em Fátima um novo espaço. Chama-se o Kansha e tem como lema  a cozinha vegetariana com sentimento.

No Kansha serve-se tudo, à excepção de carne, peixe, ovos, leite e seus derivados. Os pratos servidos podem ser dos tamanhos S ou M, e os principais produtos usados na confecção das refeições são regionais e sazonais, como as maçãs de Alcobaça e os produtos biológicos do Feijão da Velha. Os vinhos são Montalto e Alveirão e a doçaria e condimentos de marcas locais como a We Plant e Aromas d’Oureana.

O Kansha fica na Rua S. João de Deus, na Cova da Iria, e os seus proprietários, o casal Sofia Ferreira e Pedro Machado, investiram no projecto na ordem dos cinquenta mil euros.

«Fizemos um percurso de descoberta, participámos em workshops, estudámos, primeiro, cozinha convencional, depois, vegetariana, agora assumimos este projecto familiar e de filosofia de vida como projecto profissional. Para nós, faz todo o sentido, porque é necessário prevenir para não adoecer e cuidar do planeta, porque ele não se consegue regenerar à mesma velocidade com que nós exploramos os seus recursos», explica Sofia Ferreira, natural de Santa Catarina da Serra.

Mas porquê Kansha? «Kansha é uma palavra japonesa que significa gratidão. É importante sermos gratos para com os que nos rodeiam e para com o mundo; a expressão tem que ver com relações humanas, mas também com o aproveitamento dos alimentos e das combinações que fazemos com eles», explica, por seu lado, Pedro Machado, natural do Porto.

Um espaço de formação: primeiros workshops já em Fevereiro

Mais do que um restaurante, o projecto Kansha pretende ser espaço de formação e informação sobre cozinha vegetariana. Para cumprir esse objectivo, estão a ser preparados os primeiros workshops.

O primeiro, a 3 de Fevereiro, orientado por Pedro Machado, será sobre Cozinha vegetariana para não vegetarianos: «vamos apresentar-nos, falar do nosso percurso e experiência e explicar o que é ser vegetariano, qual o valor culinário, nutricional, cultural, ecológico e ético desta alimentação».

O segundo workshop, em Março, será orientado por Ana Castro, da Sabor Fazer, do Entroncamento, consultora na área da alimentação vegetariana e uma das responsáveis pela introdução de uma opção vegetariana nas cantinas escolares, no qual ajudará as famílias a preparar uma lancheira vegetariana, para crianças e adultos.

Uma outra iniciativa, a decorrer no dia 10 de Fevereiro, prende-se com a apresentação de uma marca que o Kansha representa: a dōTERRA, óleos essenciais para uso terapêutico e culinário.

 

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.