Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Formação & Ensino

IP Leiria é segunda instituição de ensino superior com mais pedidos de patente

O Instituto Politécnico de Leiria (IP Leiria) lidera os pedidos de patentes das instituições de ensino superior portuguesas, sendo, nos últimos três anos, a segunda instituição do País que mais pedidos de patentes apresentou junto do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Em apenas três anos, o IP Leiria apresentou 42 pedidos, apenas menos dois que a Universidade de Aveiro, que fica em primeiro lugar no ranking. «Estes dados revelam o trabalho notável desenvolvido pelos nossos docentes, investigadores e estudantes, com uma dinâmica excelente e uma grande capacidade de adaptação às necessidades do mercado», salienta Nuno Mangas, presidente do IP Leiria.

O IP Leiria tem sido o mais dinâmico dos politécnicos portugueses no que respeita à apresentação de projetos para atribuição de patente, e uma das mais dinâmicas instituições do ensino superior a nível nacional, com cerca de sete dezenas de pedidos apresentados desde 2008, tendo mesmo liderado o ranking nacional em 2010 e nos três primeiros trimestres de 2011, e está igualmente em terceiro lugar a nível nacional nos últimos cinco anos. Nesta lista de projetos de sucesso do Politécnico de Leiria estão projetos como o Algelo, gelo enriquecido com algas com propriedades antioxidantes; o Bubblenet, um sistema de pesca revolucionário que utiliza uma rede de bolhas de ar para fazer o cerco aos cardumes e um aspirador especial que captura o peixe sem quaisquer danos; ou uma bengala virtual para auxílio a pessoas invisuais, todos com patentes concedidas.

Já durante o ano de 2012 foram apresentados 128 pedidos de Patentes e Modelos de Utilidade efetuados por politécnicos e universidades. Utilizando o critério de pesquisa pelo nome do primeiro requerente, verifica-se que o Instituto Politécnico de Leiria apresentou em 2012 11 pedidos, sendo que apresenta ainda outro pedido como correquerente, totalizando 12 pedidos de patente no ano passado. «São várias as unidades de investigação do nosso Instituto que apresentam estes pedidos, como por exemplo o Centro de Desenvolvimento Rápido e Sustentado do Produto e o Grupo de Investigação em Recursos Marinhos assim como as nossas Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Escola Superior de Arte e Design e Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar, com projetos de várias naturezas, alguns já com aplicação prática, produzidos e comercializados», explica Nuno Mangas».

A aposta na Propriedade Industrial (PI) surgiu há cerca de cinco anos, como resultado, em certos casos direto e noutros indireto, da aposta na criação de unidades de investigação e da qualificação do seu corpo docente – neste momento o IPL tem cerca de 304 professores doutorados, num total de 725 docentes em tempo integral, estando em doutoramento mais 197 docentes.

Fonte: IPL

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.