Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Investigação em Medicina Regenerativa do IP Leiria é referência internacional

O trabalho feito pelo Instituto Politécnico de Leiria (IP Leiria) no Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentável do Produto (CDRsp) no âmbito da Medicina Regenerativa é uma referência internacional na conceção e desenvolvimento de sistemas de fabricação aditiva para produção de biomoldes. A informação é de Paulo Bártolo, diretor do CDRsp, que realiza, nos próximos dias 8 e 9 de fevereiro, o 2.º Curso Avançado de Medicina Regenerativa, revela a instituição em comunicado.

Paulo Bártolo salienta que «este Centro se destaca a nível nacional e internacional pela capacidade de desenvolver sistemas de biofabricação completamente automáticos, que lhe permite produzir implantes biomédicos adaptados a cada paciente para a regeneração de tecidos, utilizando um leque muito alargado de biomateriais de origem natural e sintética», cita a instituição de ensino.

«São várias as redes de investigação nacionais e internacionais que o CDRsp lidera na área da Medicina Regenerativa, bem como os projetos de investigação em colaboração com universidades e centros de investigação de todo o mundo», explica Paulo Bártolo, exemplificando com alguns trabalhos na área da regeneração óssea, a decorrer em parceria com a Queensland University of Technology, na Australia, a Universidade de Nápoles, em Itália, a University Medical Centre of Utrecht, na Holanda, e a University of Drexel, nos EUA.

A área da Medicina Regenerativa tem como objetivo principal promover a regeneração e/ou a substituição de tecidos e/ou órgãos lesados, como pele, osso, cartilagem, etc., através da utilização combinada de células humanas, biomoléculas (fármacos) e matrizes de suporte construídas a partir de biomateriais. «A evolução desta área tem proporcionado um avanço muito significativo a nível das atuais terapêuticas médicas, abrindo perspetivas muito promissoras no tratamento de diversas patologias», refere Paulo Bártolo, acrescentando que «o aumento do conhecimento a nível da utilização de células estaminais humanas, bem como da sua interação com biomateriais, poderá resultar a muito curto prazo em descobertas muito relevantes para o tratamento de doenças como cancro, Parkinson, Osteoporose, etc.».

O CDRsp possui uma equipa multidisciplinar de 70 investigadores com formação nas áreas de Engenharia Mecânica, Física, Química, Farmácia e Biomédica, entre outras, que lhe permite desenvolver trabalho de elevada relevância científica no âmbito de novos biomateriais e implantes para regeneração de osso e cartilagem; sistemas de entrega controlada de fármacos (para tratamento de osteoporose, Parkinson, etc); avaliação sistemática de novas terapias para o tratamento do cancro; manipulação de células estaminais para produção de tecidos específicos, entre outros projetos.

Do ponto de vista de investigação aplicada, o centro tem vindo a desenvolver um número muito elevado de projetos em copromoção com empresas nacionais, que têm, através da transferência de conhecimento, permitido a estas empresas um aumento da exportação dos seus produtos e entrada em novos mercados.

2.º Curso Avançado de Medicina Regenerativa junta especialistas de todo o mundo

O 2.º Curso Avançado de Medicina Regenerativa surge do sucesso da primeira edição, onde o número de participantes, nacionais e internacionais, foi bastante elevado, e do aumento da importância que esta área tem vindo a ganhar para as empresas da região e do País. Este evento, que reunirá especialistas de todo o mundo, terá como principal objetivo promover a divulgação das mais recentes evoluções nesta área, nomeadamente tipos de linhas celulares, biomateriais e estratégias utilizadas na produção de bioimplantes para regeneração de tecidos.

Para o diretor do CDRsp, Paulo Bártolo, «é extremamente importante que o público em geral tenha a noção dos benefícios destas terapias, reduzindo o receio de recurso às mesmas e aumentando assim as possibilidades de regulamentação efetiva das mesmas por parte das entidades reguladoras». «Adicionalmente, e considerando o mercado existente nesta área, a nível nacional e internacional, a divulgação destas terapias poderá abrir oportunidades de negócio muito interessantes para empresas portuguesas de cariz inovador», salienta.

No painel de oradores estará um grupo de investigadores de renome internacional, que vêm de instituições tão reputadas como as universidades de Pisa e Bari, em Itália, a Universidade de Saragoça, em Espanha, a Universidade do Missouri-Columbia, nos EUA, a Universidade de Bordéus, em França, do Instituto Nacional de Engenharia Biomédica e do CDRsp.

O programa e informações adicionais do 2.º Curso Avançado de Medicina Regenerativa poderão ser consultados em http://sites.ipleiria.pt/remed/.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.