Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

CGD é o mais agressivo a captar recursos – José de Matos

A captação de recursos para dar liquidez à economia portuguesa é o principal desafio da nova administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD), disse hoje o seu presidente executivo, José de Matos.

«A Caixa Geral de Depósitos (CGD) a captar recursos é um banco como qualquer outro, no mercado doméstico e lá fora. É o banco mais agressivo a captar recursos» [em Portugal], afirmou o banqueiro, durante a sua audição no Parlamento, a propósito da transferência de depósitos de clientes não residentes da Madeira para as Ilhas Caimão.

José de Matos revelou que a grande preocupação da nova administração é, precisamente, «a captação das poupanças dos portugueses e dos não residentes», e que, tal como já tinha sido anunciado pela anterior gestão, liderada por Faria de Oliveira [que passou a ser o «chairman» (presidente) do banco, com a alteração do modelo de governação do banco público] o objetivo é reforçar a quota no segmento das Pequenas e Médias Empresas (PME).

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.