Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Florestas: Manifesto reivindica alteração da política fiscal

Um manifesto «Pela Floresta contra a Crise», apelando a uma «política fiscal coerente» para aproveitar o potencial económico, social e ambiental da floresta vai ser hoje entregue no ministério da Agricultura.

«Pretendemos aproveitar este momento crítico para lembrar que a floresta é um setor com elevadíssimo potencial e que tem estado bloqueada por um conjunto de fatores que precisam de ser eliminados», disse à Lusa, Victor Louro, um dos 22 signatários do documento.

O manifesto, que é também assinado por antigo presidente da República, Jorge Sampaio, o economista João Ferreira do Amaral, a socióloga Luisa Schmidt e personalidades ligadas à fileira florestal, sublinha que é preciso «reforçar o papel do associativismo» e «conceber uma política fiscal coerente que propicie uma reestruturação fundiária adequada».

Victor Louro, antigo engenheiro florestal e ex-secretário de Estado da Estruturação Fundiária, afirmou que “há medidas indispensáveis e que não custam dinheiro”, acrescentando que “tem de se atuar por via do associativismo e de uma reforma fiscal”.

As Zonas de Intervenção Florestal (ZIF) devem, por outro lado, “ser dotadas de poder de gestão”, já que “apesar do dinheiro que foi gasto, não funcionam”.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.