Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Construção: Banca baixa avaliação habitação e dificulta crédito

O acesso ao crédito bancário para a aquisição de habitação está a ser dificultado pela diminuição do valor da avaliação das casas pelos bancos, que caiu em julho quatro por cento por metro quadrado em termos homólogos, segundo a AECOPS.

«Os bancos têm vindo a diminuir o valor de avaliação por metro quadrado que atribuem aos fogos que se encontram no mercado de compra e venda, dificultando também por esta via o acesso ao crédito bancário para a aquisição de habitação», afirma a Associação de Empresas de Construção, Obras Públicas e Serviços (AECOPS) na análise regional de setembro.

De acordo com dados hoje disponibilizados pela associação, o valor da avaliação bancária por metro quadrado dos fogos caiu em média 4,1 por cento em julho de 2011.

No entanto, a AECOPS destaca ainda que “há regiões particularmente afetadas”, caso de Lisboa, com uma queda de 5,5 por cento do valor de metro quadrado em julho face ao mesmo mês de 2010.

Esta queda na avaliação da habitação está a contribuir para “agravar a situação do mercado residencial” num momento em que o setor da construção atravessa um contexto difícil, afirma a AECOPS, acrescentando que o licenciamento de novos fogos diminuiu de forma acentuada no primeiro semestre.

No acumulado entre janeiro e junho de 2011, estes caíram 31,1 por cento face aos primeiros seis meses de 2010.

No Inquérito Mensal à Atividade é precisamente no segmento residencial que “a avaliação dos empresários é mais negativa” no presente.

Para o futuro, estes também revelaram um “acentuado pessimismo”, quer quanto ao nível de produção futuro das empresas (-32 por cento) como ao nível de emprego assegurado pelo setor (-49 por cento).

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.