Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

FMI alerta para grave choque nos EUA caso não haja acordo

O Fundo Monetário Internacional (FMI) avisou hoje os EUA de que sofrerão um “choque severo” se os limites de endividamento não aumentarem, e apelou a uma redução gradual da despesa pública.

“O limite de endividamento federal deve ser rapidamente aumentado para evitar um choque severo para a economia americana e para os mercados financeiros mundiais”, considerou o FMI no seu relatório anual sobre a economia americana.

A administração do presidente Obama e os principais legisladores americanos não conseguiram chegar a acordo para evitar que os EUA entrem em incumprimento em 2 de Agosto, com os mercados a recear que o impasse afecte todo o mundo.

O Chefe de Gabinete de Obama, William Daley, já alertou para o que serão os próximos “dias cheios de stress” para os americanos e para os mercados mundiais.

O Estado americano atingiu a 16 de Maio os limites de endividamento, mas tem utilizado ajustamentos na despesa e na contabilidade pública, bem como receitas fiscais acima do esperado, para continuar a operar normalmente, mas a situação, segundo a Casa Branca, só se poderá manter até 2 de Agosto.
O FMI fez, no relatório anual, reparos quanto aos planos do governo americano e da maioria republicana na Câmara dos Representantes para reduzir o défice nas contas públicas, defendendo uma redução gradual.

“As propostas oficiais de redução do défice poderão estar demasiado concentradas no início da execução orçamental, tendo em conta a fraqueza do ciclo [económico] e, ao mesmo tempo, serem insuficientes para estabilizar a dívida em meados da década”, refere o relatório do FMI.

O fundo prevê uma dívida pública americana de 99% do produto interno bruto em 2011 e de 103% em 2012, contra as previsões que o FMI tinha, em Junho, de 98,3% e 102,3%, respectivamente.

Os economistas do FMI recomendam assim que “os planos de redução de dívida incluam tantas medidas concretas quanto possível, e sublinharam que é essencial que exista uma exposição clara dos objectivos orçamentais a médio prazo, apoiados pelo Congresso”.

A receita que o FMI recomenda assim a Washington passa por controlar a redução da despesa e apostar no aumento da receita.

“A estratégia deveria incluir uma reforma da protecção social, incluindo reduções suplementares na despesa com saúde, bem como o aumento da receita, incluindo uma redução das excepções fiscais”, considera o fundo.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.