Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Carlos Costa quer banca de regresso ao mercado em 2013

O governador do Banco de Portugal (BdP) tem a ambição de que «o sistema bancário português dentro de um ano e meio esteja outra vez no mercado», contribuindo para «um plano de ajustamento bem sucedido».

«A minha grande ambição é que o sistema bancário português dentro de um ano e meio esteja outra vez no mercado», disse Carlos Costa, durante a conferência sobre «O financiamento global da economia», organizada pela Fundação de Serralves, no Porto.

O governador do BdP defendeu que «o sistema financeiro está a actuar de forma adequada com a refocagem do modelo de negócio, o reforço dos rácios de capital e a revisão da carteira de activos que vai determinar a capacidade de investimento e de fundo de maneio».

Carlos Costa mostrou-se confiante de que a banca portuguesa vai conseguir superar as dificuldades de se financiar no exterior, realçando que «não pode ficar à espera da resolução do problema da dívida soberana».

Em vez disso, acrescentou, «tem um papel importantíssimo na resposta para um plano de ajustamento bem sucedido. Não é por acaso que o programa [da troika], tem um capítulo sobre reestruturação financeira».

Para o responsável, «é preciso que o capítulo das reformas estruturais avance em paralelo, o que implica romper com o atavismo da sociedade portuguesa».

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.