Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Grupo Lena vende jornal i ao empresário Jaime Antunes

O empresário Jaime Antunes, novo proprietário do jornal i, diz que o principal desafio que tem pela frente é «potenciar» o título, adiantando ainda que na próxima semana será revelada uma nova direção para a publicação.

Jaime Antunes, que entra em funções na sexta-feira, lembrou à agência Lusa que nunca esteve «totalmente fora» da comunicação social e foi mantendo «pequenas participações aqui e ali em pequenos projetos», embora tenha admitido que a sua maior «atenção profissional» centra-se noutras áreas.

O Grupo Lena anunciou na quarta-feira ter vendido o diário i a uma companhia liderada pelo empresário Jaime Antunes, como parte do seu plano de desinvestimento em áreas de negócio não estratégicas, e sem revelar os valores envolvidos.

“Surgiu esta oportunidade e decidi que era altura de me empenhar mais activamente neste sector, de que gosto muito”, disse o gestor em declarações à Lusa.

O i é um “título recente, interessante, de que as pessoas gostam”, e o desafio é potenciar o jornal, embora Jaime Antunes se tenha escusado a revelar mais detalhes sobre as formas para atingir tal fim.

O novo administrador do i teve hoje reuniões com equipas do jornal e garantiu à Lusa que na próxima semana serão conhecidas novidades sobre a direcção editorial, depois do director do título, Manuel Queiroz, se ter despedido hoje dos leitores em editorial.

“O Grupo Lena decidiu vender este jornal a Jaime Antunes, homem que conhece bem a comunicação social. Ao Grupo Lena quero agradecer a confiança que sempre depositou em mim e a liberdade que me deu nestes 14 meses de direcção do i. A Jaime Antunes desejo as melhores felicidades”, escreve Manuel Queiroz.

Contactado pela Lusa, o ainda director do i destaca a “influência na vida pública” que o jornal – “feito por gente muito criativa e empenhada” – foi conquistando ao longo do tempo.

“Estabilizou-se a equipa e a linha editorial” e o jornal foi-se impondo junto dos leitores, analisa, declarando não ter ainda perspectivas sobre o seu futuro profissional após a saída da direcção do título.

De acordo com a nota de quarta-feira do Grupo Lena, “a alienação do i foi um processo relativamente complexo e longo, dado que qualquer negociação implicava a exigência da continuidade e desenvolvimento do projecto”.

No negócio agora concretizado, acrescenta o grupo, “foi possível manter todo o projecto, o título, a marca e a imagem, assegurando […] a presença no mercado”.

O diário i, fundado em 2009, venceu recentemente o prémio de “melhor design do mundo” (World’s Best-Designed Newspaper 2010), atribuído pela Society for News Design.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.