Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Comércio entre China e Angola cresceu 45% em 2010

As trocas comerciais entre a China e Angola cresceram 45 por cento em 2010, atingindo os 24 mil milhões de dólares, segundo o vice-primeiro-ministro chinês, que considera “cada vez mais forte” a confiança entre os dois países.

Wang Qishan, que cumpre uma visita oficial de dois dias a Angola, esteve reunido terça-feira com o presidente angolano, José Eduardo dos Santos, com quem analisou o reforço da cooperação entre os dois países e a situação internacional.

O vice-primeiro-ministro chinês, citado pela imprensa angolana, disse que em 2010, o volume de comércio bilateral atingiu os 24,8 mil milhões de dólares, registando um crescimento de 45,4 por cento.

Energia, infra-estruturas e finanças foram apontados por Wang Qishan como os três principais setores da cooperação entre Angola e a China, sendo “cada vez mais forte a confiança” entre os dois países.

O governante chinês lembrou que Angola é o segundo maior fornecedor de petróleo à China e um dos mais importantes parceiros comerciais em África e propôs o acelerar das negociações para a criação de uma Comissão Bilateral sobre cooperação a arrancar ainda este ano.

Por seu turno, o vice-presidente da república angolano, Fernando da Piedade Dias, defendeu o reforço da cooperação entre os dois países em vários domínios.

Fernando da Piedade Dias, que discursava na abertura das conversações oficiais entre delegações governamentais de Angola e da China, considerou “determinante” o aperfeiçoamento dos mecanismos institucionais de cooperação, e defendeu a aprovação de um programa de cooperação plurianual com base nas prioridades dos dois governos.

Para Fernando da Piedade Dias, a visita do vice-primeiro-ministro chinês, “demonstra a vontade política de aprofundar, cada vez mais, as excelentes relações económicas e comerciais, tendo como propósito o bem-estar e o progresso dos dois povos e Estados”, escreve o Jornal de Angola.

O vice-presidente angolano defendeu a manutenção de um “diálogo permanente e ao mais alto nível, com vista a aprofundar as relações de parceria em todos os domínios” com a China.

Sustentou que Angola e a China devem continuar a promover as trocas comerciais, na perspetiva do aumento das exportações dos dois países e da criação de bases logísticas que sirvam as regiões austral e central de África.

Wang Qishan termina hoje a sua visita a Luanda.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.