Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Augusto Mateus diz que medidas não convencem os mercados

O antigo ministro da Economia Augusto Mateus defendeu hoje que o Governo devia ter avançado com reformas estruturais para responder aos «verdadeiros problemas» do país, em vez de medidas de conjuntura que não vão convencer os mercados internacionais.

«As medidas não vão convencer os mercados internacionais. Vão gerar durante algum tempo uma reação positiva», disse Augusto Mateus à agência Lusa, à margem do seminário «A água, o Desenvolvimento e a Sustentabilidade: um olhar sobre a próxima década», onde participou.

Para o antigo ministro, «os problemas globais da economia [portuguesa] são despesa a mais e incapacidade de gerar riqueza». Por isso defende a necessidade de “tomar medidas que sustentem a redução estrutural da despesa e não estritamente a conjuntural”.

Augusto Mateus realça que “estas medidas, se forem só estas, não vão dar o resultado pretendido” e que isso só será avaliado dentro de um mês. “Não se vislumbra nada de estrutural nestas medidas. São de cariz financeiro, a pensar só na consolidação orçamental e temos de olhar para o contexto económico”.

Segundo Augusto Mateus, Portugal tem procurado adiar “os ajustes necessários”, nomeadamente no lado da despesa pública, ao contrário do que aconteceu noutros países.

O Governo anunciou na quarta-feira um conjunto de medidas de austeridade para enfrentar a crise. Entre essas medidas estão o corte de salários de 5% no total da massa salarial da Função Pública, o congelamento das pensões em 2011 e o aumento em dois pontos percentuais do IVA, que passa a ser de 23%. As tabelas anexas ao Código do IVA também vão ser revistas.

O Executivo de Sócrates decidiu ainda congelar os investimentos públicos, cortar os benefícios sociais e também os benefícios fiscais das empresas e criar um imposto sobre o sector financeiro. Estas medidas têm de ser aprovadas na Assembleia da República para entrarem em vigor.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.