Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Portugal investe na exportação de rochas ornamentais

Portugal vai tentar criar uma organização exportadora na área das rochas ornamentais, aglutinando “muitos produtores”, para concorrer a grandes obras, sobretudo na China. “Temos de criar um núcleo empresarial profissional, virado exclusivamente para a exportação. Já fomos o terceiro maior exportador de rochas ornamentais, mas hoje estamos no nono lugar”, disse o director-geral de Energia e Geologia, Carlos Caxaria.

Carlos Caxaria abriu hoje em Xangai uma Semana dos Recursos Geológicos, que decorre até terça-feira no pavilhão de Portugal na Expo 2010, com a participação de empresários chineses e portugueses.

“O potencial geológico português é mal conhecido fora do País, e especialmente na China, que é hoje um dos maiores consumidores de matérias-primas”, realçou Carlos Caxaria.

“A China é o sítio certo para este tipo de promoção e há empresas portuguesas dispostas a fazer parceria. As matérias-primas são estratégicas e no futuro serão cada vez mais importantes”.

Além das rochas ornamentais, nomeadamente os mármores alentejanos, Portugal produz cobre, volfrâmio e “algum ouro”, e tem “grande potencial” no zinco e no ferro, indicou o responsável.

Carlos Caxaria destacou também “a experiência de Portugal a recuperação ambiental de minas” e o seu know-how em relação aos países africanos de língua portuguesa, entre os quais Angola e Moçambique, onde a China tem vindo a investir cada vez mais. “Gostaríamos de ser uma ponte e estar presentes nos PALOP em parcerias com a China”.

A Expo2010, dedicada ao tema “Better City, Better Life” (Melhores Cidades, Maior Qualidade de Vida”), é a maior exposição universal de sempre, com mais de 240 países e organizações internacionais. O pavilhão português – um edifício de 2.000 metros quadrados, revestido de cortiça – já foi visitado por mais de 3 milhões de pessoas, um recorde na história da participação portuguesa em exposições universais.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.