Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Crédito Agrícola lança nova linha para kiwi

As Caixas de Crédito Agrícola Mútuo do Porto, Vale do Sousa, Baixo Tâmega e Noroeste lançaram uma nova linha de crédito de apoio à produção de kiwi, “ajustada às necessidades da cultura”.

“A vantagem que tem esta linha de crédito é que é ajustada às necessidades da cultura”, explicou à Lusa José Martino, da ‘Espaço Visual’, empresa de consultadoria de engenharia agronómica que colabora neste projeto com as Caixas de Crédito Agrícola.

A cultura de kiwi tem um período de formação da planta de três anos, altura em que tem as primeiras produções, atingindo a plenitude no quinto ano.

“Com esta linha de crédito, nos quatro primeiros anos há um período de carência onde só há lugar ao pagamento de juros. Do quinto ao décimo ano faz- se a amortização do capital”, referiu.

Para ter acesso a esta linha o kiwicultor tem de ter uma candidatura ao Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER) aprovada e terá de ser associado da Associação Portuguesa de Kiwicultores (APK).

No caso de os agricultores não terem a candidatura ao PRODER para instalação das novas plantações e/ou reconversão dos pomares de kiwis, a ‘Espaço Visual’ responsabiliza-se pela sua realização, visitando o terreno, verificando se tem condições de solo e clima para a cultura do kiwi e avaliando o perfil do empresário.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.