Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Risco da dívida portuguesa é o segundo que mais reduz

O risco da dívida pública portuguesa é o segundo que mais cai, a seguir à Irlanda, enquanto que do lado das empresas, também o BES e BCP estão em destaque pela positiva.

De acordo com os dados da CMA, os credit default swaps a cinco anos associados à dívida pública portuguesa, (custo anual para segurar os títulos de dívida) situavam-se nos 218,97 pontos base (o que representa um custo de 218,97 mil euros anuais), o que representa uma melhoria de 32.38 pontos base face ao valor de fecho de segunda feira.

O risco associado à dívida pública portuguesa caía assim, na análise intra-diária da CMA, 12,88 por cento face ao fecho anterior.

A melhoria nos CDS associados à dívida portuguesa era apenas superada pela Irlanda, que via estes instrumentos financeiros a caírem 13,64 por cento, para os 199,94 pontos base.

Do lado das empresas, o Banco Espírito Santo apresenta a terceira maior redução no custo para segurar a sua dívida, com uma redução de 17,27 por cento face ao fecho anterior. Os CDS associados à dívida do BES situavam-se nos 434,29 pontos base.

O BCP apresentava a sexta maior redução, com uma queda de 13,19 por cento no custo dos CDS associados à sua dívida a cinco anos, para os 432,81 pontos base.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.