Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

F. Pública: pensões ilegais custaram ao Estado 1,6 M€ em 2007

Cerca de 30 por cento dos reformados que em 2007 acumulavam pensões com rendimentos do trabalho estavam em situação ilegal, uma situação que fez o Estado gastar desnecessariamente 1,6 milhões de euros, segundo a Conta Geral do Estado.

«Do total de 2 932 aposentados que, em 2007, se encontravam a exercer funções e/ou a prestar trabalho remunerado em serviços do Estado, 846 (28,8 por cento) não poderiam a priori estar naquela situação de acumulação», diz a Conta Geral do Estado (CGE) sobre 2009, referindo-se a auditorias realizadas pela Inspeção Geral das Finanças.

De acordo com a CGE, e tendo em conta a análise feita a sete entidades públicas, o Estatuto da Aposentação não está a ser cumprido em 70 por cento dos casos «no que concerne quer à autorização, quer à redução da pensão ou do vencimento em dois terços».

Se estas situações não ocorressem, diz o relatório, o Estado pouparia 1,6 milhões de euros.

«Caso a lei fosse cumprida e face aos valores envolvidos (2,5 milhões de euros provenientes da prestação de trabalho remunerado e 2,8 milhões de euros referentes a pensões pagas pela CGA) a poupança poderia ascender a 1,6 milhões», diz.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.