Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

«Desafio de curto prazo é honrar equilíbrio das contas públicas»

A frase foi proferida ontem, pelo ministro da Economia, Inovação e Desenvolvimento,Vieira da Silva, no âmbito da conferência «Que rumo para a economia portuguesa?», promovida pela revista Invest e ISLA Leiria. O governante frisou ainda a importância de «modernizar o padrão de especialização» do tecido produtivo, e o desafio que representa a compatibilizar o equilíbrio das contas públicas com a recuperação económica.

«Vivemos um problema de recuperação económica, atravessado por um problema estrutural (…) se não conseguirmos esta operação de recuperação da credibilidade do país, teremos um custo incomportável», salientou o ministro, referindo-se ao equilíbrio das contas públicas e descartando o aumento da subida do IVA que, segundo o responsável, não representa «uma boa resposta».

O ministro apontou ainda, durante a sua intervenção, o «problema histórico» de capitalização das empresas, fazendo referência à sua excessiva dependência de capitais alheios. «Os bancos têm tradição de desenvolver o seu negócio com base na cobertura das garantias que lhe são oferecidas. Enquanto as empresas estão demasiado dependentes dos capitais alheios, os bancos têm excessiva dependência das garantias patrimoniais que são exigidas», advertiu Vieira da Silva.

Em paralelo com a premência de resolver aquele «binómio» está também, segundo o ministro, o combate à burocracia e a melhoria das qualificações dos portugueses.

A conferência, que contou com o apoio do Leiria Económica, decorreu no Estádio de Leiria, perante uma plateia composta maioritariamente por empresários, tendo contando ainda com intervenções do economista Nogueira Leite e do empresário Jorge Santos, da Vipex.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.