Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Pesca da sardinha pela arte do cerco conquista certificação

O Marine Stewardship Council (MSC) atribuiu à pesca da sardinha pela arte do cerco em Portugal a certificação de sustentabilidade e boa gestão da actividade piscatória, sendo esta a primeira pescaria portuguesa a obter certificação ao abrigo do programa internacional.

As capturas da Associação Nacional das Organizações de Produtores da Pesca do Cerco (ANPOCERCO) – que representam 95% da produção de sardinha em Portugal, com um nível de captura anual superior a 50 mil toneladas métricas – podem agora ser portadoras do eco-rótulo azul do MSC, que é reconhecido internacionalmente.

A certificação abrange todas as embarcações de pesca costeira da associação (com mais de nove metros de comprimento), cuja actividade principal é a pesca do cerco.

«A nossa experiência nos últimos 17 meses tem sido claramente positiva. O processo de avaliação do MSC permitiu-nos retomar o debate, no que respeita à gestão sustentável dos recursos da pesca, não só no seio da indústria pesqueira, mas também a nível externo. Os pescadores e os parceiros comerciais têm-se mostrado bastante interessados ao longo de todo o processo. Compreenderam o que está em jogo, bem como os benefícios que a certificação MSC lhes pode trazer. É uma situação em que todos ganhamos. O MSC dá-nos a oportunidade de mostrar ao mundo o nosso claro empenho em matéria de sustentabilidade. A credibilidade do sector da pesca como um todo irá ser beneficiada com esta certificação do MSC e estamos confiantes de que irá contribuir no sentido de sensibilizar os consumidores portugueses para o facto de que as escolhas que fazem no mercado têm um impacto no futuro dos oceanos», explica Humberto Jorge, presidente da Direcção da associação.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.