Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Subsído a empresários desempregados talvez só após eleições

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, admitiu hoje que a prestação social para os pequenos empresários pode não ser apresentada até ao final da legislatura. «O Governo está a trabalhar numa matéria [a da criação deste tipo de legislação] que é complexa do ponto de vista técnico e conceptual, mas que pode não ser apresentada nesta legislatura», disse Vieira da Silva na Comissão de Assuntos do Trabalho, Segurança Social e Administração Pública, citado pela Lusa.

De acordo com Vieira da Silva o Governo constatou que «há de facto uma situação de quebra de rendimento, que não tem a ver com os pequenos empresários, que é séria, e à qual queremos dar resposta».

«Há dificuldades técnicas que se colocam e, no caso de alguns países europeus, estão há alguns anos a construir uma proposta certa e construtiva».

Embora tenha reconhecido que a legislação poderá não ser aprovada até ao final desta legislatura, o ministro do Trabalho destaca que «o País continua a viver», pelo que se justifica que o Governo esteja a trabalhar nesta matéria.

A prestação social destina-se aos pequenos empresários que vejam a situação degradada em virtude do encerramento das suas empresas, no caso pequenas e médias empresas. «Não será fácil tecnicamente criar esta prestação dada a dificuldade de provar a involuntariedade do desemprego», explica.

Vieira da Silva considera ainda que «não é um compromisso assumido chegar ao fim da legislatura com esta prestação social», mas que pretende tê-la preparada.

A possibilidade de os empresários poderem ter direito a protecção social em caso de desemprego está consignada no Código Contributivo, tendo hoje sido discutida na comissão da especialidade no Parlamento.

Os deputados da oposição (PSD, Partido, PCP e Bloco de Esquerda) lamentaram que «uma matéria tão complexa» tivesse de ser discutida e aprovada em tão pouco tempo, ou seja, até ao final da legislatura, lembrando que estão por conhecer as implicações financeiras para o sistema de segurança social.

Na sessão da Comissão Parlamentar estiveram em discussão o regime processual aplicável às contra-ordenações laborais e da Segurança Social e o regime jurídico da promoção da segurança e saúde no trabalho.

Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.