Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Cerâmica: sector perdeu quase 10% do emprego em 2 anos

O sector da Indústria cerâmica perdeu quase 10% do seus postos de trabalho nos últimos dois anos, disse hoje à agência Lusa o presidente da Associação Portuguesa da Indústria Cerâmica (APICER). De acordo com Duarte Garcia, o sector é constituído por 703 empresas que dão emprego a 22.994 pessoas e nos últimos dois anos perdeu 2.000 empregos.

A APICER, em colaboração com o Barclays e a Galp Energia, desenvolveu um Plano Estratégico de médio prazo para o sector da Cerâmica, com o objectivo de reforçar a competitividade das empresas e reforçar a imagem do sector a nível mundial.

O plano será apresentado publicamente na terça-feira, em Lisboa, e tem como base um estudo elaborado pela Sociedade Portuguesa de Inovação, que faz um diagnóstico detalhado do sector da cerâmica em Portugal.

Para isso foram auscultadas mais de cinco dezenas de empresas, associações empresariais, universidades e centros tecnológicos.

Segundo Augusto Medina, um dos responsáveis pelo estudo, o actual momento económico «tornou mais premente uma reorientação estratégica que se adivinhava ser essencial para garantir a afirmação do sector».

«Este momento afigura-se como uma oportunidade, na medida em que se assiste a um reposicionamento dos principais players a nível internacional e a profundas alterações nos mercados», afirma o professor.

O sector da cerâmica inclui os subsectores da cerâmica estrutural, cerâmica de pavimentos e revestimentos, cerâmica de louça sanitária, cerâmica utilitária e decorativa e cerâmicas especiais.
Este tecido empresarial tem um volume de negócios de 1.225 milhões de euros (1,7% do total da indústria transformadora) e vende 632,5 milhões de euros nos mercados internacionais, o que representava, em 2007, 1,68% das exportações nacionais.

Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.