Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Angola: empresas portuguesas apostam nas províncias

As províncias angolanas são cada vez mais «excelentes oportunidades de negócio» que as empresas portuguesas estão a descobrir, deixando de concentrar a actividade em Luanda, disse o director em Angola da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Em declarações à agência Lusa, Miguel Fontoura sublinhou que, ao contrário do que acontecia há apenas um ano e meio, os empresários portugueses estão com os olhos postos nas províncias angolanas.

Num seminário em Luanda para cerca de duas dezenas de empresas que integram uma missão a Angola organizada pela Associação Comercial de Lisboa (ACL), o responsável lembrou: «Estou há um ano e meio [em Angola] e a imagem que existia era Luanda; as pessoas chegavam e ficavam por aqui, mas começaram a verificar a melhoria das vias de comunicação e que os índices de crescimento das províncias criaram muito mais oportunidades para as empresas», disse.

O director do AICEP notou ainda que «há agora muito mais oportunidades fora de Luanda». «Angola não é só Luanda. E a prova disso é que as missões empresariais que temos tido integram já deslocações para fora de Luanda, seja Benguela ou Huambo, mas também Lubango. As empresas portuguesas já perceberam que há uma outra realidade para além de Luanda, com excelentes oportunidades de negócio», disse.

Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.