Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Japão vai opor-se ao proteccionismo dos EUA

O Japão opõe-se às medidas proteccionistas dos EUA para combate à crise económica e vai manifestá-lo no próximo fim-de-semana em Roma, na reunião dos ministros das Finanças dos G7, anunciou hoje o ministro Shoichi Nakagawa.

«Aprendemos com a Grande Depressão que, se um texto semelhante ao da lei Smoot-Hawley viesse a ser aprovado, isso conduziria a um desastre», disse Nakagawa em conferência de imprensa. «Discutiremos os meios para impedir que isso aconteça.»

O ministro japonês das Finanças referia-se a uma lei norte-americana de 1930 que impôs enormes direitos alfandegários a numerosos produtos importados, desencadeando mecanismos de retaliação e agravando a crise económica internacional.

O Congresso dos Estados Unidos propôs a inclusão de uma cláusula «Buy American» («Compre americano») no plano de recuperação em debate, o que desencadeou numerosos protestos e advertências por todo o mundo.

«Ignoro qual será o tipo da cláusula Buy American no plano de recuperação, mas as reuniões anteriores do G7 e do G20 confirmaram que não nos devemos enredar-nos no proteccionismo», disse Nakagawa
Segundo afirmou, o respeito pelos países membros da Organização Mundial do Comércio das regras estabelecidas constitui «um postulado de base».

Qualquer medida proteccionista nos Estados Unidos seria particularmente nefasta para o Japão, cuja economia depende consideravelmente das exportações.

Os ministros das Finanças e os governadores dos bancos centrais do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) encontram-se no sábado em Roma, tendo já conversado entre si pelo telefone.

Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.