Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Empresas queixam-se que bancos chegam a duplicar spreads

As empresas têm cada vez mais dificuldades no acesso ao crédito e apontam o dedo à banca por chegar a duplicar em alguns casos os spreads, disseram à agência Lusa as associações de empresários e industriais AEP e AIP.

Com cerca de sete mil associados directos e muitos milhares indirectos, a Associação Empresarial de Portugal (AEP) e a Associação Industrial Portuguesa (AIP) são unânimes na caracterização das crescentes dificuldades das empresas em obter crédito das instituições financeiras, uma situação que as preocupa pelo «impacto que está a ter na economia real e no plano social».

«Nas últimas semanas têm aumentado as queixas dos nossos associados. As empresas que se nos dirigem têm reportado situações altamente criticáveis quanto ao comportamento da banca, que quase tem duplicado os ‘spreads’ contratados em 2008. Há já empresas a quem se estão a exigir ‘spreads’ de 7 por cento e mais», disse em entrevista à agência Lusa fonte oficial da AEP.

Também o presidente da AIP, Jorge Rocha de Matos, corrobora estes problemas sobretudo numa altura em que a crise internacional a nível dos mercados de crédito não perdoa, agravando a situação das empresas, nomeadamente as de menor dimensão, «quer em termos de acesso do crédito, quer quanto ao custo do mesmo».

«As empresas estão a sentir maior dificuldades no acesso ao crédito e que o seu custo se tem agravado. Note-se que existe em Portugal um problema de financiamento da actividade empresarial, nomeadamente ao nível das Pequenas e Médias Empresas (PME) que são muito dependentes do crédito bancário», afirmou.

Os bancos reconhecem que agravaram os “spreads” e estão mais selectivos na concessão de novos financiamentos, mas justificam que este é o reflexo do aumento, também para eles, do custo de financiamento e do risco.

Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.