Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Optilink introduz produção de cordão óptico em Portugal

André Guerra

O projecto Optilink, sedeado em Pombal, começou a ser idealizado pelos irmãos Artur Gonçalves – técnico de electrónica – e António Gonçalves – engenheiro electrotécnico – no verão de 2006, na sequência da participação em projectos de operadores de telecomunicações nacionais. Não génese do negócio esteve a constatação de que aquelas empresas importavam cabos ópticos de Espanha, resultado da inexistência do produto em Portugal.

«Porque não passar a produzir em Portugal?» Trabalharam a ideia, a sua viabilidade e o modelo de negócio, o que envolveu «muitos contactos e viagens ao estrangeiro, nomeadamente a feiras do sector e fornecedores de equipamento», explicou António Gonçalves, ao Leiria Económica.

«Os cabos de fibra óptica têm vindo, nos últimos anos, a substituir os clássicos cabos de cobre, passando a dominar o campo da conectividade entre sistemas» justifica.

Percebido o potencial do negócio, era altura de angariar capital para fazer face a um investimento inicial de 110 mil euros. Recolheram a aprovação da instituição de crédito que contactaram e, em Março de 2007, deram corpo à Optilink. A produção teria início em Junho do mesmo ano, e em Outubro viam terminado o processo de certificação com uma empresa suíça, «líder nesta área de negócio», explica.

A pertinência de uma empresa fornecedora de cordões ópticos e assemblagem de componentes ópticos às empresas de telecomunicações viria confirmada no volume de vendas dos primeiros seis meses de actividade: 60 mil euros, mais de metade do investimento inicial.

Os valores confirmaram as expectativas iniciais e a carteira de encomendas em curso «está a superar as expectativas», levando a que o primeiro semestre deste ano termine com valores «acima do estipulado no plano de negócios», antecipa António Gonçalves.

De futuro, o investimento deverá ascender a 250 mil euros, o montante previsto na componente laboratorial, e que materializará a totalidade da ideia inicial do projecto.

A estratégia comercial dita a apresentação dos produtos junto do público-alvo, o que envolve a participação no maior número possível de feiras do sector e a finalização do website que a empresa tem em desenvolvimento.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.