Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Turismo interno pode representar 50% do total dentro de 6 anos

O turismo interno pode vir a representar 40 a 50% do total do sector em Portugal, dentro de cinco a seis anos, resultado de desenvolvimento de um plano nacional, defendeu hoje Miguel Sousinha, presidente da associação das Regiões de Turismo (ANRET), em declarações à agência Lusa, e com base num estudo da associação.

Miguel Sousinha salientou que foi possível fazer uma caracterização do turista nacional e das suas motivações, e que se pode elaborar um plano a médio/longo prazo «indo ao encontro dos interesses dos portugueses, na hotelaria e restauração, por exemplo» e aumentar o peso dos turistas nacionais no total do turismo português.

Para este responsável, até agora, o turismo interno tem sido alvo de alguma marginalização face ao receptor (entrada de turistas de outros países), nas políticas e nas estratégias seguidas, defendendo por isso, a elaboração de um plano, em coordenação com os objectivos a nível nacional, incluindo «parcerias essenciais e graduação de prioridades».

Turismo interno cresceu 10% em três anos

Nos últimos três anos, o turismo interno em Portugal cresceu de 22% para 32%, uma percentagem ainda baixa quando comparada com os 48% de Espanha ou os 66% de França, segundo o estudo.

No entanto, apesar de admitir o apoio do Turismo de Portugal, o presidente da ANRET realça que «é preciso uma correlação de forças para apresentar um produto novo e é preciso ultrapassar o individualismo e juntar os agentes para desenvolver coisas novas».

O estudo, que será apresentado na quarta-feira, durante a Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), deverá dar origem a um plano de acção, em parceria com o Turismo de Portugal, e será candidato a apoios do QREN (Quadro de Referência Estratégica Nacional).

O estudo permite, assim, juntar um conjunto de dados que estavam dispersos e organizar o plano de modo a «colmatar uma falha do PENT [Plano Estratégico Nacional para o Turismo]» no que respeita a produtos dirigidos especificamente ao mercado interno, defendeu Miguel Sousinha.

PENT deve conter medidas para dinamizar turismo interno

Para este responsável, o PENT dirige-se somente à captação de turistas estrangeiros e é preciso que haja uma interligação entre os dois casos.

O estudo demonstra que o produto «sol e praia» ainda tem importância entre as escolhas para férias e lazer, embora se note que, principalmente a faixa etária entre 20 e 30 anos «já demonstra grande interesse por conhecer todo o país, mesmo o interior».

O número de casos de gozo de férias fora de casa baixaram «fortemente» nos últimos anos entre os residentes no Norte e Centro, aumentando moderadamente nas outras regiões, tendo sido a classe média inferior aquela que registou uma «maior retracção», com uma baixa de sete pontos percentuais.

A falta de férias fora de casa teve como principais justificações, as económicas (62,4 por cento) e profissionais (19 por cento).

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.