Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Cinco grupos trabalho elaborarão plano de investimentos no Oeste

O Governo e a Associação de Municípios do Oeste criaram hoje cinco grupos de trabalho que vão elaborar o plano de acção onde vão constar projectos para a região como forma de compensação pelo abandono do aeroporto na Ota, revela a agência Lusa.

O presidente da Associação de Municípios do Oeste, Carlos Lourenço (PSD), explicou à Lusa que a associação já nomeou os seus elementos nestes grupos de trabalho e que nos próximos dias serão marcadas as reuniões sectoriais com os representantes do Governo.

Os grupos de trabalho estão divididos nos seguintes temas: acessibilidades e mobilidade (estradas e ferrovias); competitividade territorial (turismo, património e ambiente); coesão territorial (saúde e educação); os territórios objecto de medidas de excepção (Alenquer e Azambuja) e a governação (parcerias com a administração central).

Os 13 municípios da área da AMO, a que se juntaram os autarcas de Santarém, Azambuja e Cartaxo reuniram-se hoje com o ministro das Obras Públicas, coordenador do grupo de trabalho que vai elaborar o plano de acção até Março.

Um dos objectivos concretos dos autarcas do Oeste que sejam criados acessos ao novo aeroporto localizado no Campo de Tiro de Alcochete.

O ministro afirmou no final da reunião de hoje que decorreu em Caldas da Rainha que em causa está «tudo o que é necessário para potenciar o desenvolvimento desta região, à luz de uma nova realidade».

«Há que alterar e reconfigurar a estratégia de desenvolvimento para a região», mas «o aeroporto localizado em Alcochete não deixa de ter interferência, e não deixa de ser necessário articular a nova localização com esta região», declarou Mário Lino.

Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.