Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

AECOPS tem nova direcção

Ricardo Pedrosa Gomes, em representação da SETH – Sociedade de Empreitadas e Trabalhos Hidráulicos, é o novo presidente da Direcção da AECOPS – Associação de Empresas de Construção, Obras Públicas e Serviços, sucedendo a Joaquim Carlos Fortunato que, em representação da MSF – Moniz da Maia, Serra & Fortunato, desempenhou o cargo nos últimos dois mandatos, revela a associação em comunicado.

Na mesma cerimónia, Álvaro Monteiro Pedroso Jacinto foi também empossado como presidente da Comissão Directiva da Delegação da AECOPS do Distrito de Leiria.

Ricardo António Pedrosa Gomes tem 45 anos e é licenciado em engenharia civil, sendo também diplomado pelo PAGECO – Programa Avançado de Gestão de Empresas de Construção, da Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica Portuguesa.

Nos últimos dez anos tem desempenhado funções como administrador-delegado da SETH, uma das empresas que estiveram, no ano de 1950, na origem da fundação do GRICCOPS – Grémio Regional dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas do Sul, que mais tarde se transformaria na AECOPS.

Após a tomada de posse dos novos dirigentes, foi apresentado publicamente o livro “AECOPS – Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas: 117 Anos de Associativismo da Construção”, da autoria de José Tomaz Gomes, que desempenha as funções de director-geral da associação e que resulta «de um intenso trabalho de investigação sobre as origens do associativismo empresarial deste sector no nosso país».

Na mesma sessão assumiram também funções os demais membros dos diferentes corpos gerentes da AECOPS e os eleitos para os órgãos sociais das suas delegações de Faro, Santarém, Setúbal, Évora, Beja e Portalegre, Castelo Branco e Leiria.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.