Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Moçambique: Segurança privada encarece negócios, diz IPAD

O recurso à segurança privada, devido à desconfiança nos meios do Estado, é um ónus para as empresas e retira competitividade às economias, alertou hoje, em Maputo, o vice-presidente do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD).

Artur Lami discursava sobre a relação entre o Segurança Interna e o Desenvolvimento, no I Seminário sobre Segurança Interna, que hoje começou na capital moçambicana.

Segundo o vice-presidente do IPAD, a garantia na segurança interna dos Estados é uma das premissas fundamentais para atrair o investimento que gera desenvolvimento, não devendo ser excessivamente confiada a entidades privadas, devido ao elevado custo que representa.

«Se há medo de sair de casa, não posso fazer negócios, se receio sempre ser roubado, também não posso investir, e sem investimento não há desenvolvimento», sublinhou Artur Lami. «As pessoas têm de estar animadas e não desanimadas em relação a um dado mercado, essa predisposição psicológica determina o sentido dos investimentos», enfatizou Lami.

Mesmo o apetrechamento das forças de segurança só é possível com mais investimentos e desenvolvimento, pois é destes indicadores que o Estado retira os recursos para poder cumprir as suas funções primárias, entre as quais a própria segurança.

«Os recursos com que os Estados cumprem as suas funções não caem do céu, são garantidos por rendimentos do capital, do trabalho, da propriedade e do consumo», destacou o vice-presidente do IPAD.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.