Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Vulcal vence em nicho de mercado

O posicionamento no nicho de mercado dos pneus de grandes dimensões garante à Vulcal – empresa de Pombal que presta serviços de pneus, vulcanizações e lubrificantes – a realização da maior parte dos seus negócios fora de portas e um volume de negócios que ronda os dez milhões de euros, revela a edição de hoje do Jornal de Leiria.

«Destacao-nos nos pneus de grandes dimensões. A verdade é que é muito fácil montar e desmontar pneus em ligeiros e pesados. Mas o caso muda de figura quando se trata de pneumáticos que podem pesar cinco toneladas e têm de ser transportados por veículos pesados», explicou ao semanário, Gonçalo Santos, membro do Conselho de Administração da Vulcal.

A empresa utiliza algumas das mais avançadas tecnologias, destacando-se duas das maiores máquinas de vulcanização do mundo.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.