Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Portugueses perdem 18 milhões de euros em juros nas contas poupança-habitação

Os detentores das contas poupança-habitação perdem, anualmente, 18 milhões de euros em juros, comparando com o que podiam obter se tivessem o dinheiro depositados noutras contas, diz a DECO numa análise comparativa divulgada hoje, citada pela agência Lusa.

«Os portugueses mantêm ainda 2,2 mil milhões de euros depositados nas CPH [contas poupança habitação] e, por esse facto, perdem anualmente cerca de 18 milhões de euros em juros, pois, a taxa de juro líquida média [destas contas] é de apenas 2,0%, contra 2,8% num depósito de cinco mil euros a um ano», refere um boletim financeiro da DECO Proteste.

A conclusão refere os valores médios resultantes de uma análise comparativa feita entre os juros pagos nos dois tipos de produtos – depósito a um ano e conta poupança-habitação – por 17 bancos. Na amostra utilizada pela DECO, só o Millennium bcp, o Barclays, o BES e o BBVA têm melhores taxas de juro para as contas poupança-habitação do que para os depósitos a um ano no montante de cinco mil euros.

Associação aponta dedo à banca e Ministério das Finanças

A associação de defesa do consumidor aponta o dedo à banca e ao Ministério das Finanças nesta situação. Considera que os detentores das contas poupança-habitação «estão a ser lesados pela actual legislação», porque foi extinto o benefício fiscal associado às entregas feitas para as CPH, mas mantêm-se as restrições aos levantamentos, «situação tem vindo a ser aproveitada pelos bancos em detrimento dos depositantes».

«Como os levantamentos das CPH estão limitados às poucas situações especificadas na lei e a sua transferência para outro banco apenas é possível caso se contrate um crédito à habitação na nova entidade, o investidor está, quase sempre, preso ao banco onde tem a conta», refere o boletim da DECO.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.