Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Governo quer duplicar produção do olival nacional em 4 anos

O Governo quer praticamente duplicar a produção do olival nacional num prazo de quatro anos, das actuais 33 mil toneladas para 60 mil toneladas, disse o ministro da Agricultura à agência Lusa. Jaime Silva afirmou que esta fileira, uma das consideradas prioritárias no Programa de Desenvolvimento Regional (PDR) 2007/2013, não tem pré-estabelecido qualquer limite em termos de financiamento.

O objectivo do Governo é apoiar «olivais com rega, modernos», bem como a transformação e a promoção, disse. «Queremos que Portugal, a curto/médio prazo (quatro, cinco anos), produza o suficiente para o consumo interno e que exporte», afirmou.

Portugal não pode perder espaço no mercado externo

O ministro recordou que o país ainda importa 50% de azeite para consumo interno, apesar de estar a «exportar muito bem para o Brasil», um mercado que a produção nacional não pode perder. Jaime Silva acredita que com a plantação de 30 mil hectares de olival nos últimos três anos e com os que vão agora ser apoiados será possível atingir o objectivo definido e evitar que outros Estados membros da União Europeia venham a ocupar o espaço que os produtores nacionais já conquistaram no mercado externo.

Apesar dos problemas surgidos no passado, com processos ainda a correr em tribunal pela atribuição de direitos que depois tiveram de ser alvo de rateio, a subida dos preços permitiu que em 2005/2006 alguns produtores não esperassem por novos direitos e tenham plantado olival novo, afirmou. «Foram plantados 20 mil hectares de olival novo no Alentejo, a maior parte sem nenhuma ajuda, o que é agradável, ver o mercado a funcionar só por si», disse.

Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.