Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Portugueses bebem cada vez menos vinho estrangeiro

Num país onde quase 50% do território é ocupado por regiões vitivinícolas demarcadas, o mercado interno português está cada vez menos interessado em experimentar a produção oriunda de outros países: em 2006, a importação de vinhos representou um volume de negócios de apenas 49,7 milhões de euros, menos 22,3% que no ano anterior (64 milhões), revela a edição de hoje do Diário Económico.

Segundo o Instituto do Vinho e da Vinha (IVV). a explicação é simples: com uma tradição de produção de vários séculos os portugueses estão habituados a beber aquilo que produzem, cita o DE. A este factor juntam-se as fortes campanhas de marketing internas levadas a cabo pelas várias comissões vitivinícolas regionais e pelas empresas, e o facto de a produção nacional ocupar toda a escala de valor, desde o mais barato ao mais caro, reduzindo o espaço para a importação, revela ainda o diário.

Para ler na íntegra clique aqui

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.