Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Leirienses pediram sete mil milhões de euros à banca em 2006

Em 2006, os leirienses pediram à banca 7,478 mil milhões de euros, segundo os valores divulgados pelo Banco de Portugal (BP) no seu boletim estatístico de Julho, revela a edição de hoje do Diário de Leiria. Os empréstimos a sociedades não financeiras e particulares cresceram 704 milhões de euros face ao ano anterior (6,774 mil milhões em 2005).

O relatório revela que em 2002 os leirienses pediram 4,915 mil milhões, valor que subiu para 5,559 mil milhões em 2003, chegando aos 6,039 mil milhões em 2004. Feitas as contas, de 2002 a 2006, o recurso ao crédito cresceu 2,559 mil milhões de euros no distrito de Leiria, que se coloca em sexto lugar no ranking nacional, adianta o diário.

O distrito de Lisboa é o que mais vai à banca (85,929 mil milhões em 2006), seguido do Porto (33,749 mil milhões), Setúbal (13,089 mil milhões), Braga (10,589 mil milhões) e Aveiro (9,664 mil milhões).

Depósitos crescem menos

No que diz respeito aos depósitos, Leiria regista um ritmo de crescimento mais brando. Segundo dados do Banco de Portugal, os particulares, sociedades e instituições financeiras não monetárias depositaram um total de 4,323 mil milhões de euros em 2006, mais 161 milhões de euros que no ano anterior.

Em 2002, o total foi de 3,748 mil milhões, em 2003 atingiu 3,822 mil milhões e em 2004 3,975 mil milhões.

Também neste indicador, Lisboa lidera o ranking nacional (61 mil milhões), seguida do Porto (19,4 mil milhões), Braga (6,4 mil milhões), Madeira (6,167 mil milhões), Setúbal (5,979 mil milhões), Aveiro (5,735 mil milhões) e Faro (4,706 mil milhões). Leiria surge na oitava posição.

LE com Diário de Leiria

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.