Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Laboratório Biotecnológico do Oeste ainda «sub-aproveitado»

O Laboratório Biotecnológico do Oeste – LBO – a funcionar em pleno desde Janeiro passado nas instalações da Escola Superior de Tecnologias do Mar-ESTM, em Peniche – tem já firmados contratos com diversas instituições públicas e privadas, revela o Oeste Online.

O presidente da ESTM, Júlio Coelho, admitiu que o LBO se encontra ainda «sub-aproveitado», em termos de mais-valia que representa para a região. Júlio Coelho sublinhou, na apresentação do LBO, que este pretende «prestar serviços numa filosofia de criar receita autónoma», adianta o site.

Com um investimento na ordem de «meio milhão de euros, comparticipado pela União Europeia», o LBO conta com quatro técnicos especializados e começa agora a dar os primeiros passos de aproximação às empresas da região.

LE com Oeste Online

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.