Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Governo acusado de prejudicar economia da região

O Governo foi ontem alvo de fortes críticas por parte de empresários, autarcas e representantes de regiões de turismo do Oeste e do Centro, que acusaram aquele executivo de causar instabilidade e prejudicar o desenvolvimento económico da região. O estudo da opção Alcochete para o novo aeroporto internacional foi o motivo das críticas, revela a edição de hoje do Diário de Leiria.

Com a decisão do Governo, «abriu-se um ciclo de dúvidas. Hoje ninguém pode assegurar onde se localizará o aeroporto internacional, há uma incerteza e um clima de instabilidade e é contra isso que estamos a reagir», afirmou Telmo Faria, presidente da Agência de Desenvolvimento Regional do Oeste (ADRO), adianta o diário.

Para presidente da Assembleia Geral do Conselho Empresarial do Centro, Fernando Cardoso, a localização do aeroporto internacional deve ser a Norte de Lisboa por ser onde se concentra «mais população, mais cargas, mais acessibilidades, projectos turísticos e também mais escoamento para a cidade de Lisboa, sem necessidade de passar pontes».

Os dois responsáveis falavam em Torres Vedras (sede da ADRO) durante uma conferência de imprensa onde participaram também os presidentes das regiões de Turismo do Ribatejo, Oeste, Leiria-Fátima, Templários e do núcleo empresarial da região de Santarém.

LE com Diário de Leiria

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.