Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

«As sucessivas mudanças de governo não beneficiam as autarquias»

Rui Silva, presidente da Câmara de Figueiró dos Vinhos, em entrevista ao Diário de Leiria, enumera alguns problemas estruturais do país e defende que «tal como acontece, por exemplo em Espanha, mais tarde ou mais cedo a regionalização tem de ser uma realidade».

Rui Silva revela-se assim um acérrimo defensor da regionalização e exemplifica: «há um mês estive num encontro em Cáceres, Espanha, e verifiquei a dinâmica e o poder de decisão que as regiões têm. As cinco regiões plano em Portugal (Norte, Centro Lisboa, Alentejo e Algarve) com umas ligeiras adaptações poderiam resolver algumas coisas».

O autarca critica ainda as constantes mudanças de executivo e volta a apontar Espanha como exemplo: «nos últimos 30 anos, Espanha mudou quatro vezes de Governo e nós mudámos 17. Os municípios já perceberam que só com parcerias é que conseguem resolver os problemas, mas as sucessivas mudanças de Governo não beneficiam as autarquias. Isto não nos leva a lado nenhum».

Reconverter parque industrial em parque empresarial

Em entrevista àquele diário Rui Silva aborda ainda questões como a dívida da autarquia e o estado da economia figueiroense. O edil critica o anterior executivo, liderado por Fernando Manata, por ter descurado a vertente económica. Também apresenta soluções para dinamizar esta vertente: «embora Figueiró dos Vinhos não tenha tido muita vocação para a indústria, tem um parque industrial que queremos reconverter em parque empresarial. Vamos possibilitar a abertura de lojas comerciais e de serviços. É uma forma das micro-empresas se poderem instalar», explica.

Para ler a entrevista na íntegra, clique aqui

LE com Diário de Leiria

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.